SEÇÕES

Piauí firma-se como polo científico em saúde

Pesquisadores do estado desenvolvem estudos relevantes que podem ser aplicadas na prática hospitalar

00 | 00
FACEBOOK WHATSAPP TWITTER TELEGRAM MESSENGER

Biocurativos, laser, visão artificial. O Piauí também é um celeiro científico, onde a inovação mira o cotidiano com soluções que impactam diretamente na vida das pessoas.

Klinger Rodrigues, doutor em farmacologia e professor da Universidade Federal do Piauí (Ufpi), campus de Parnaíba, por exemplo, usa celulose bacteriana para curar feridas de humanos e animais acometidos pela leshimaniose. 

Klinger Rodrigues é doutor em farmacologia e professor da Ufpi (Foto: Divulgação)

"No biocurativo, iremos incorporar um novo candidato a fármaco leishmanicida desenvolvido por nosso grupo de pesquisa, chamado de SB-83", explica.

O estudo vislumbra a aplicação do biocurativo pelo próprio paciente em casa, diretamente nas lesões cutâneas da chamada leishmaniose tegumentar, que atinge a pele. 

"Ele possui alta aderência à pele e está sendo produzido para termos uma liberação controlada do fármaco e poder ser trocado somente uma vez ao dia. Isso vai gerar um maior conforto ao paciente e maior aderência ao tratamento, uma vez que o tratamento convencional requer injeções diárias que são doloridas e possuem muitos efeitos adversos", conta Klinger.

Alunos da UFPI usam laser para cicatrização feridas provocadas pela diabetes (Foto: Divulgação)

Ainda em Parnaíba, o professor Vinícius Cardoso, da Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDpar), e os alunos Pedro, Cristiana, Rebeca, Fernanda, Rayana, Leydnaya, Suzana, Lorena e Ana Carolina desenvolvem uma pesquisa usando laser para cicatrizar feridas provocadas pela diabetes.

O tratamento com laser é muito utilizado na fisioterapia, mas o foco é o chamado pé diabético, em um ambulatório em Parnaíba para este tipo de lesão. 

"O laser é uma luz, com um espectro de 904 nanômetros, invisível ao olho humano, aumentando o metabolismo e o poder de cicatrização das células. Temos vários trabalhos assim, mas faltam dados para uma precisão científica. Estamos atendendo a comunidade no ambulatório e contribuímos com a ciência", explica Vinícius.

Estudos têm resultados promissores

Em Picos, a ciência também norteia os conhecimentos. O professor Antonio Oseas de Carvalho Filho, doutor em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Maranhão (Ufma) e professor da Universidade Federal do Piauí (Ufpi) em Picos, mostra o valor da chamada visão computacional.

"Visão computacional é uma área de estudo muito ampla que visa explorar e propiciar a máquinas, em conjunto com técnicas de machine learning, a capacidade de interpretar e classificar objetos e cenários, através de análises de imagens ou de vídeos, sejam estes, com duas ou três dimensões", determina o pesquisador.

Estudos avançam no Piauí e têm resultados promissores  (Foto: Divulgação)

O funcionamento depende da aplicação de um conjunto de técnicas, todas com forte embasamento matemático. "Em conjunto com técnicas de machine learning e de visão computacional, é possível construir soluções", acrescenta.

O estudo é importante para diagnóstico de pneumonia. "Nas imagens de TC e Raio-X em que nossos estudos foram testados, nossos algoritmos foram capazes de entender que haviam padrões entre as doenças, esses padrões se referem a propriedades geométricas e de textura e como estas se relacionam ou se comportam dentro da imagem. E, com isso, foi possível construir uma solução robusta para classificação de pneumonias, as quais conseguimos resultados promissores", finaliza.



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos