Plano diretor da Eletrobras prevê redução de 3 mil funcionários

Empresa fará investimentos de R$ 19,75 bi e redução de pessoal

O conselho de administração da Eletrobras aprovou o novo Plano Diretor de Negócios e Gestão (PDNG) para 2018-2022, que prevê investimentos da ordem de R$ 19,75 bilhões em geração, transmissão, distribuição e infraestrutura, informou a elétrica em fato relevante nesta segunda-feira (18).

Investimentos Corporativos de 2018-2022

    Geração: R$ 5.146.677

    Transmissão: R$ 7.299.910

    Infraestrutura e outros: R$ 1.531.665

    Distribuição: R$ 260.825

Investimento em Sociedades de Propósito Específicos (SPEs): R$ 5.517.195

    Geração: R$ 4.836.856

    Transmissão: R$ 680.339

A elétrica ainda lista em seu plano iniciativas para reduzir custos com pessoal em cerca de R$ 959 milhões por meio do Plano de Incentivo ao Desligamento (PID). A estimativa de redução é de R$ 890,4 milhões ao ano, se houver desligamento em 2018 de cerca de 3.017 empregados.

Está prevista ainda redução das despesas com contas gerenciáveis de pessoal tais como: horas extras, adicional de sobreaviso e adicional de periculosidade; e contratação única de benefícios para as empresas Eletrobras visando o ganho de escala e consequente redução de custos.

Novo plano prevê investimentos de R$ 19,75 bilhões até 2022 (Crédito: Assessoria/Divulgação)
Novo plano prevê investimentos de R$ 19,75 bilhões até 2022 (Crédito: Assessoria/Divulgação)

Desinvestimentos

Ainda poderá ocorrer a venda de ativos cujos valores serão usados na redução do endividamento da empresa, de acordo com o fato relevante. "Para efeito de estimativas, no âmbito desta iniciativa, foram selecionados um total de 77 SPEs e 6 outorgas corporativas, que totalizam cerca de R$ 4,6 bilhões, em valor contábil na data base de 30 de junho de 2017."

Voltar a crescer

No final de novembro, o presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Júnior, disse que a companhia pretendia voltar a investir na expansão das suas operações depois de 2019, após a conclusão da reestruturação interna, vendas de ativos e redução do endividamento.

Segundo o executivo, ao fim de 2018, a Eletrobras não terá mais projetos pendentes, com exceção da conclusão da obra da hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu (PA) e da usina de Angra 3. Todas as obras em atraso, inclusive aquelas da Chesf, serão concluídas, garantiu.

Balanço

De acordo com o balanço do terceiro trimestre, a Eletrobras registrou lucro líquido de R$ 550 milhões no terceiro trimestre, resultado 37% inferior ao verificado no mesmo período do ano passado.

Segundo a empresa, no mesmo trimestre de 2016 foram contabilizados valores maiores em indenizações devidas pela União à companhia pela renovação antecipada de contratos de concessão (RBSE), o que explica a redução no resultado.

O resultado acumulado em 2017 é um lucro líquido de R$ 2,272 bilhões, ante R$ 9,77 bilhões no mesmo período do ano passado.

Fonte: Com informações do G1
logomarca do portal meionorte..com