Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Polícia prende homem que enviava armas e dinheiro para outros estados

Walter dos Santos, o Pigmeu, também era responsável por transmitir para membros de facção ordens para ataques e execuções. Ele foi detido nesta quarta (20) no litoral paulista.

Polícia prende homem que enviava armas e dinheiro para outros estados
|
Compartilhe
Google Whatsapp

A Polícia Civil de São Paulo prendeu na manhã desta quarta-feira (20) um homem apontado pela investigação como um dos principais chefes do Primeiro Comando da Capital (PCC), facção criminosa paulista que age dentro e fora das cadeias do país e atua em outros países da América do Sul.

(Reprodução/Exame)

Segundo policiais civis, Walter Caires dos Santos, o Keno ou Pigmeu, era o ‘ponteiro’ do Primeiro Comando da Capital. Esta função, de acordo com o Denarc, envolve decidir sobre o envio de armas e dinheiro para integrantes de organizações criminosas parceiras do PCC em outros estados.

Walter ainda era incumbido de transmitir aos integrantes do PCC, nas ruas, as ordens de ataques a agentes públicos e de assassinato decididas dentro das prisões pela cúpula da facção.

Ele foi preso num apartamento de alto padrão em Mongaguá, no litoral paulista durante a Operação Protocola Fantasma, que também cumpre mandados de prisão e busca e apreensão na capital paulista, no interior do estado, e nos estados do Paraná, Pernambuco, Tocantins e Mato Grosso do Sul.

Transferência

Há uma semana, os governos federal e de São Paulo transferiram Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, apontado como chefe do PCC e mais 21 integrantes da facção para presídios federais. Os presos estavam na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau e em Presidente Bernardes, no interior paulista, e foram levados para presídios federais em Brasília, Mossoró (Rio Grande do Norte) e Porto Velho (Rondônia).

O promotor Lincoln Gakiya, responsável por pedir à Justiça de São Paulo a transferência de 22 líderes do PCC disse na última quinta-feira (14) que a remoção isolou o primeiro e o segundo escalões da facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios, com ramificações internacionais.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se