Acusado de matar filha de Sarney Neto consolou família da vítima

Lucas Porto é herdeiro do grupo Planta Engenharia.

Lucas Leite Ribeiro Porto, de 37 anos, que se encontra preso acusado de  assassinar Mariana Menezes de Araújo Costa Pinto, de 33 anos, filha do ex-deputado estadual Sarney Neto, chegou a ir até o hospital onde a vítima  estava para consolar seus familiares. As roupas usadas por ele ao estuprar e matar Mariana, sua cunhada, na tarde de domingo, 13, foram entregue à polícia. 

Segundo relatos de familiares e amigos, o suspeito ainda chegou a ir ao hospital em que Mariana estava e, ao saber da morte, consolou a família. Porto é herdeiro do grupo Planta Engenharia e já tinha sido fichado, em 2007, por porte ilegal de arma, estelionato e falsa comunicação de crime. Na época, ele teria forjado o roubo de veículos para conseguir ressarcimento do seguro.

Lucas Leite Ribeiro Porto
Lucas Leite Ribeiro Porto


Acusado confessa o crime

Assim que foi detido, Lucas negou veemente as acusações, mas ontem, quarta dia 16, resolveu assumir a autoria do assassinato, conforme informou o secretário de Estado de Segurança do Maranhão, Jefferson Portela, em uma entrevista coletiva. 

“Ele decidiu falar e ao contrário da segunda-feira resolveu declinar não só a confissão da autoria da morte de Mariana como elencar motivos para esse ato criminoso. Essa reinquirição foi procedida e foi colhida a confissão dele se dizendo autor da morte e narrando aspectos pelos quais teria praticado este ato. Confissão não decide ação da polícia, ele era a única pessoa a ter ido para o apartamento da vítima. Foi preso mesmo tendo negado, dizendo que tinha admiração pela vítima e que nunca faria isso”, disse. 

Confissão não altera investigação

Segundo Jefferson Portela, a confissão do acusado não muda a investigação. “A confissão dele não muda nada para nós. Portanto, confessado a autoria, a motivação dada por ele, se amanhã não for esta a verdadeira motivação será ele que está dando uma informação não verdadeira, porque a investigação vai continuar”, disse.

Sobre o motivo do crime, o secretário relatou. “Ele disse que tinha uma atração pessoal muito forte pela Mariana, sua cunhada. Declina isso espontaneamente. Resolveu ir ao seu apartamento, lá chegando a encontrou no quarto sem roupa e a partir daí ele resolveu consumar o seu desejo por ela através do sexo, daí se chegou a morte. A finalização do homicídio ainda é objeto  de investigação policial, era uma paixão incontida pela sua cunhada, a motivação teria iniciado por ai, houve violência de natureza sexual, portanto essa é a manifestação dele”, declarou.

Filha de Sarney Neto foi morta por asfixia

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) confirma que  Mariana Menezes foi vítima de uma tentativa de estrangulamento e morreu por asfixia na noite de domingo (13) em seu apartamento no bairro Turu, em São Luís. Segundo a polícia, Mariana sofreu estrangulamento e foi sufocada pelo suspeito com a ajuda de um travesseiro. 

Mariana Menezes de Araújo Costa Pinto
Mariana Menezes de Araújo Costa Pinto



Fonte: Com informações do G1/ Veja
logomarca do portal meionorte..com