Acusado de ser mentor de estupro coletivo é julgado hoje em Castelo

Muitos populares estão presentes no local.

Atualizado às 17:02

Adão está prestando depoimento nesse momento perante o tribunal. Ele diz ser inocente, e afirma que não estava no "Morro do Garrote" no dia do crime.

Atualizado às 16:05

O julgamento foi retomado e o réu, Adão José de Sousa, é o próximo a ser ouvido pelo tribunal.

O julgamento deverá se estender durante toda a tarde, e adentrar a noite. De acordo com uma funcionária do Fórum, a previsão é que o julgamento ultrapasse as 22h.

A mãe de uma das vítimas, Ana Maria Sampaio, desabafou ao chegar no fórum para acompanhar o julgamento. Para a família, é como se tudo voltasse a acontecer.

"É como se fosse naquele dia, revivendo tudo que a gente passou. Eu espero que a justiça seja feita. Ele sendo preso é uma forma de você se sentir, não sei se segura, mas aliviada", afirmou Ana Maria.

 (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
(Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)

Atualizado às 15:28

Os defensores públicos que assistem o réu são  Darcio Rufino e Leandro Ferraz

Darcio afirma que é preciso separar o "joio do trigo" e que há muitos boatos em torno do caso e as imputações que estão sendo feitas contra o réu. O defensor público apontou o adolescente Gleyson Vieira da Silva - que foi assassinado dentro do CEM - por suposta participação no estupro coletivo como o único responsável.

"Não existem provas críveis contra Adão. É muito óbvio, desde o início,  que a tragédia que abateu sobre essas famílias foi de responsabilidade exclusiva de quem está morto, o Gleyson", argumentou o defensor público. 

O advogado das vítimas, João Washington, classificou o réu como "pernicioso" e defendeu pena máxima. 

“A  expectativa é que seja feita justiça. Não existe dúvidas. As provas nos autos são consistentes. Ele é pernicioso a sociedade e deve ser condenado a uma pena muito grande para que fique muito tempo preso”, defendeu o advogado das vítimas.

Atualizado às 15:06

O julgamento permanece suspenso. Antes da paralisação para o almoço, todas as testemunhas de defesa e acusação foram ouvidas, restando apenas o réu se pronunciar. 

Atualizado às 13:45

O Comandante do Grupamento Policial Militar de Castelo do Piauí, sargento Gomes, informou que apesar da revolta da população a integridade física do acusado foi mantida.

Até o momento, o julgamento segue sem nenhuma alteração.

 (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
(Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)

Atualizado às 13:25

O juiz Leonardo Brasileiro decidiu fazer intervalo para almoço. A audiência será retomada em 30 minutos. 

A população permanece presente acompanhando o julgamento do lado de fora do Fórum.

 (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
(Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)


Atualizado às 12h43

O acusado ainda não foi chamado ao tribunal. Permanece em outra sala, aguardando o julgamento.

As três vítimas já prestaram depoimento perante o tribunal.  Agora, estão sendo ouvidas as testemunhas de acusação e, por último, as de defesa. Em seguida, o réu será interrogado. Após os depoimentos, começam os debates entre a acusação e defesa.

 (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
(Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)

Atualizado às 10h45

O julgamento está em andamento e o juiz Leonardo Brasileiro informou há poucos instantes que até o exato momento a expectativa é que o processo seja encerrado hoje. Não há previsão de um possível cancelamento do processo, ou seja, hoje mesmo o réu será sentenciado e terá sua pena proferida no final. Populares permanecem na frente do fórum na expectativa e bastante revoltados. 30 jurados que foram convocados compareceram ao Fórum e 7 foram sorteados.

 (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
(Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)

Atualizado às 10h38

Como o caso corre em segredo de Justiça, populares e imprensa não poderão acompanhar o julgamento que está pronto para começar. Conselho de sentença está formado no local junto com a presença das testemunhas e réu que aguardam o início.

 (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
Julgamento em andamento (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
 (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
Julgamento em andamento (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)

Atualizado às 10h20

Uma mulher identificada apenas como Leila que está cumprindo pena no Presídio Feminino, em Teresina, chegou ao local do julgamento. Segundo informações, ela irá testemunhar em defesa do réu Adão José de Sousa.

 (Crédito: Ronaldo Mota/ Tribuna em Foco)
(Crédito: Ronaldo Mota/ Tribuna em Foco)
 (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
(Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)

Atualizado às 09h48

Adão José de Sousa, acusado de ser o mentor do estupro coletivo, acaba de chegar ao Fórum de Castelo do Piauí.Ele apareceu em uma viatura da Secretaria de Justiça.

Na chegada de Adão ao Fórum de Castelo, populares entoaram o som de "justiça", muitos também gritavam "assassino". Ao descer da viatura, Adão falou pouco, mas alegou aos repórteres que é inocente.

O processo ocorre em segredo de justiça e, por isso, a sessão será restrita: apenas o juiz, o réu, o júri, as testemunhas, representantes do Ministério Público do Piauí e da Defensoria Pública do Piauí e demais servidores do fórum poderão participar da audiência.

Réu chega para julgamento (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
Réu chega para julgamento (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
Réu chega para julgamento (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
Réu chega para julgamento (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
 (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
(Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)


Atualizado às 09h40

Vários moradores estão presentes no local, e vão acompanhar o julgamento do lado de fora. Policiais Militares da 2ª Companhia de São Miguel do Tapuio e do 15° Batalhão de Campo Maior estão reforçando a segurança no local. A rua onde acontece o julgamento no Fórum Desembargador Antônio de Freitas Resende está interditada e os veículos não passam na via.

Polícia faz a segurança da região (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
Polícia faz a segurança da região (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
Polícia faz a segurança da região (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)
Polícia faz a segurança da região (Crédito: Ronaldo Mota/Tribuna em Foco)

Acusado de ser mentor de estupro coletivo é julgado hoje em Castelo

Está marcado para às 09h30 desta terça-feira (27/02), o julgamento do réu Adão José Silva Sousa, pelo Tribunal do Júri. Adão é acusado de ser o mentor do estupro coletivo de quatro adolescentes no município de Castelo do Piauí, a 190km de Teresina. O crime ocorreu no dia 24 de maio de 2015 e chocou todo o país.

Adão José foi denunciado pelos crimes de porte ilegal de arma, estupro, homicídio e corrupção de menores. O julgamento será feito pelo juiz Leonardo Brasileiro, no Fórum da cidade de Castelo do Piauí.

O CASO

Na noite do dia 27 de maio de 2015, quatro adolescentes entre elas uma de 15 anos, uma de 16 e duas de 17 anos foram estupradas e agredidas por cinco jovens na cidade de Castelo do Piauí. De acordo com o delegado Laércio Evangelista, os acusados já foram identificados. Ao todo são quatro menores e um maior de idade.

As quatro vítimas foram levadas para o Hospital Regional de Castelo do Piauí e por apresentarem um quadro bastante grave foram encaminhadas para o Hospital de Urgência de Teresina.

Na manhã do dia seguinte, as policiais civis e militar apreenderam 3 adolescentes  acusados de estuprarem e agredirem as adolescentes  I.C.M.S, de 16 anos,  J.L.S, de 15 anos, D.R.F, de 17 anos e R.N.S.R, de 17 anos.



Fonte: Com colaboração do Tribuna em Foco
logomarca do portal meionorte..com