Após decisão, acusado de matar modelo a tiros ficará solto

O agente penitenciário alvejou o modelo com um tiro na cabeça.

O agente penitenciário, Renilson Garcia Araújo, 27 anos, foi condenado a nove anos de reclusão pela morte do modelo Johnny Moura Melo, 22 anos. Ele já respondia em liberdade, e continuará solto aguardando a conclusão do processo, quando não caberá mais recursos.

Renilson foi condenado por homicídio privilegiado (quando praticado por forte emoção, logo após injusta provação da vítima) e pela qualificadora da surpresa (à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido).

Tanto Ministério Público quanto defesa anunciaram que vão recorrer da decisão. Caso o Tribunal de Justiça acate o recurso da acusação haverá novo julgamento, no entanto, se a tese da defesa prevalecer, a pena de nove anos poderá ser reduzida.

A acusação sustenta a condenação do réu por homicídio duplamente qualificado (motivo torpe e sem possibilidade de defesa da vítima).

Modelo foi morto com tiro na cabeça (Crédito: Reprodução)
Modelo foi morto com tiro na cabeça (Crédito: Reprodução)

Julgamento


A sessão teve início por volta de 9h30 no 4º Salão do Júri do Fórum Clóvis Beviláqua e ocorreu a portas fechadas. O crime ocorreu no dia 27 de dezembro de 2015, por volta das 5h30, após festa realizada em buffet no Bairro Dunas, na capital cearense. A decisão foi proferida por volta da meia noite.

O juiz Antonio Carlos Pinheiro Klein Filho, titular da 4ª Vara do Júri de Fortaleza, presidiu a sessão. À frente da acusação esteve o promotor de Justiça Ythalo Frota Loureiro e o assistente de acusação, advogado João Marcelo Pedrosa. A defesa estava à cargo dos advogados Antônio Delano Soares Cruz e Silvio Vieira da Silva.

Um total de 10 testemunhas foram intimadas para depor no julgamento. Destas, quatro foram arroladas pelo Ministério Público, cinco pela defesa e outra tanto pela acusação como pela defesa.

Segundo a denúncia apresentada pelo Ministério Público do Ceará, o acusado, que entrou no buffet com arma de fogo, teria se envolvido em uma briga com a vítima por este acreditar que Renilson estaria olhando para a sua namorada. Já do lado de fora do estabelecimento, Renilson se aproximou do veículo em que Johnny estava e atirou na cabeça do modelo, que não resistiu ao ferimento.

Agente penitenciário acusado do crime (Crédito: Reprodução)
Agente penitenciário acusado do crime (Crédito: Reprodução)


Fonte: Com informações do G1