Baretta não descarta que jovem achado em rio tenha sido torturado

Família acusa policiais do 6º BPM de espancar o jovem.

O coordenador da Delegacia de Homicídios, Francisco Costa, o Baretta, já iniciou investigação acerca da morte do jovem Isaias Rodrigues da Silva, de 18 anos, encontrado morto na manhã desta terça-feira (14), debaixo da ponte do Tancredo Neves, nas margens do rio Poti, na zona Sudeste de Teresina. 

O jovem foi preso pelo 6º Batalhão da Polícia Militar no domingo (12) após assaltar um suposto policial militar e estava desaparecido desde então. Os familiares acusam os policiais que atenderam a ocorrência de espancar Isaias Rodrigues que foi visto pela última vez por volta das 23h de domingo. 

Local onde o corpo foi encontrado (Crédito: Rede Meio Norte)
Local onde o corpo foi encontrado (Crédito: Rede Meio Norte)

O delegado esclarece que o corpo do jovem está passando por exames que vão apontar a causa morte. “Apesar de termos algumas informações, nós estamos aguardando e eu acredito que daqui a pouco daremos uma resposta, porque nesse exato momento tanto o médico legista e o perito de plantão estão trabalhando no cadáver para justamente determinar a causa morte. E com as informações que nós já temos, eu poderia dizer se houve um crime de homicídio, e se esse crime foi cometido por meio cruel ou através de tortura”, afirmou.

Sem mencionar suspeitos pela autoria do crime, o delegado garante que “a investigação já está operacionalizada". 

E acrescenta: “Nós temos toda uma metodologia, toda uma técnica empregada para chegar a elucidar o fato como um todo. Nós já entrevistamos pessoas e estamos aguardando o resultado da autópsia para dizer a causa-morte, se esse rapaz morreu vítima de afogamento natural, acidental; ou se foi um ato criminoso, se ele foi jogado na água vivo, se há reações vitais no pulmão dele, ou ainda se ele possui ferimentos, seja de arma de fogo, ou outro instrumento que perfure".

A tia de Isaias Rodrigues, Noemia Sales,  contou que seu sobrinho tentou roubar um policial  com um facão, mas foi imobilizado e preso pelo militar. Segundo ela, os militares do 6º BPM o prenderam, espancaram com o facão e em seguida seguiram em direção a ponte do Tancredo Neves, local onde o corpo foi achado. 


Fonte: Portal Meio Norte
logomarca do portal meionorte..com