Campinas: Autor de chacina efetuou 'mais de 30 tiros', diz perícia

"Chegamos a conclusão de que foram mais de 30 tiros", disse.

O técnico de laboratório Sidnei Ramis de Araújo, que matou a ex-mulher, o filho de apenas 9 anos e outras dez pessoas em chacina durante as confraternizações da virada do ano na cidade de Campinas, em São Paulo, no dia 01, efetuou mais de 30 tiros durante o crime, conforme apontou a perícia realizada pela Polícia Civil. 

De acordo com o diretor do Instituto de Criminalística (IC), Edvaldo Messias Barros, resta o resultado de mais dois laudos.  "Chegamos a conclusão de que foram mais de 30 tiros por conta da quantidade de projéteis que encontramos no chão, dos ferimentos nas vítimas e também por ter o conhecimento de que o atirador usou dois pentes. O número exato de tiros nós vamos descobrir quando os dois laudos do imóvel ficarem prontos", afirmou.

Sidnei Ramis de Araújo pulou o muro de uma casa na Vila Proost de Souza, assassinou a ex-mulher, Isamara Filier, de 41 anos, o filho de 8, outras dez pessoas e se matou na sequência. Um dos sobreviventes se fingiu de morto para escapar da chacina.

"Ele perfurou o intestino, levou um tiro no joelho. Segundo o que ele falou, depois de levar os tiros, ele se fingiu de morto", contou a irmã da vítima.

Vítimas da chacina em Campinas (Crédito: Patrícia Teixeira / G1)
Vítimas da chacina em Campinas (Crédito: Patrícia Teixeira / G1)



Fonte: Com informações do G1
logomarca do portal meionorte..com