Delegacia de Homicídios identifica acusado de matar idoso em THE

O crime ocorreu na zona Norte de Teresina.

Na tarde de domingo (14/01), o ajudante de pedreiro e zelador José Maria Marques do Nascimento, de 60 anos, que morava no bairro Nova Teresina, foi assassinado a tiros no início da tarde de domingo (14), na avenida Sérgio Mota, no bairro Parque Wall Ferraz, na região da Santa Maria da Codipi, zona Norte de Teresina.

Nesta segunda (15), o coordenador da Delegacia de Homicídios, delegado Francisco Costa, o Baretta, afirmou em entrevista a Rede Meio Norte, que o acusado já foi identificado.

“Diante dessa ocorrência a Delegacia de Homicídios foi acionada, a equipe de plantão compareceu acompanhada do delegado e lá fez todos os levantamentos, evidentemente que nós estamos diante de um problema, que é uma pessoa que foi morta violentamente com disparos de arma de fogo. A partir daí as hipóteses foram levantadas e ja estão sendo validadas pela equipe de investigação”, declarou.

Ainda segundo o delegado, aparentemente não houve erro na execução. “Dificilmente uma execução ocorre por erro de pessoa, o crime de homicídio é devidamente planejado, até em um homicídio ocasional num milésimo de segundo o indivíduo que praticou o crime pensa nele, estamos refazendo os passos desse senhor, o que ele viu, o que ele praticou porque em algum instante da história da vida deles um pisou na história do outro”, afirmou Baretta.

OUTRO CASO DE MORTE NO FINAL DE SEMANA

Na tarde de sábado (13), o Corpo de Bombeiros resgatou o corpo de um jovem decapitado nas águas do rio Poti, na altura do bairro Monte Alegre, na zona Norte de Teresina. O jovem foi identificado como Francisco Italo Lopes de Macedo, de 17 anos.

Ainda de acordo com o delegado Baretta, a vítima já tinha diversas passagens. “É um jovem residente do Poti Velho, mas sempre freqüentava a região da grande Santa Maria da Codipi. A gente tinha um presunção de que ele poderia ter sido morto em outro local mas já há informações de que ele foi visto justamente próximo a região onde o corpo foi encontrado. O autor do fato delituoso deixou bem claro a assinatura dele, que  policia agora está lendo ela, que é justamente a vaidade do ser humano em praticar o crime. Por que ele decepou a cabeça do rapaz? Por que ele pegou mais de 15 facadas? A Polícia Civil está preparada para dar a resposta. Nós temos que conhecer as circunstâncias em que foi praticado o crime, para que quando chegarmos ao autor ele não tenha mais nenhum apego para negar. O que podemos afirmar é que a vítima já tinha várias entradas inclusive passagem pelo CEM, era especialista em roubos de moto, tráficos e outros assaltos”, disse.

Fonte: Portal Meio Norte
logomarca do portal meionorte..com