Delegado é condenado por vender cigarros apreendidos do Paraguai

Savério foi condenado a 11 anos e 8 meses de prisão pela Justiça

O ex-titular da delegacia de Jardinópolis (SP), Renato Savério, acusado de vender cargas apreendidas de cigarros contrabandeados do Paraguai, foi condenado a 11 anos e 8 meses de prisão pela Justiça. Ele está preso desde março de 2015 no presídio da Polícia Civil em São Paulo (SP).

De acordo com a promotoria de Justiça, Savério chegou a lucrar R$ 200 mil com a venda de 22.150 pacotes de cigarros, apreendidos em dezembro de 2014 em Jardinópolis. Ele foi exonerado da função pelo governo de São Paulo em agosto de 2016.

O escrivão de polícia Silvio Perissê, acusado de atuar junto com Savério e falsificar documentos públicos e fraudar processos, foi condenado a 10 anos de prisão. Perissê chegou a ser preso, mas conseguiu um habeas corpus e respondia ao processo em liberdade.

Delegado 'galã' é condenado por vender cigarros contrabandeados
Delegado 'galã' é condenado por vender cigarros contrabandeados


O advogado do ex-delegado, Júlio Mossin, disse que vai recorrer da decisão. A defesa de Perissê não foi localizada para comentar o assunto.

Um terceiro homem, acusado de ser o receptador das cargas, foi condenado a 7 anos e 6 meses de prisão, mas está foragido.

Em março de 2015, Savério foi preso a pedido da Corregedoria da Polícia Civil. Na época, a polícia acabou descobrindo que o então delegado também teria aplicado um golpe contra uma seguradora de veículos. De acordo com a investigação, ele registrou um boletim de ocorrência pelo roubo da caminhonete em que estava, mas o crime nunca aconteceu. O veículo tinha placas fraudadas. A empresa pagou a Savério uma indenização de R$ 150 mil. O ex-delegado responde a ação por estelionato.

Fonte: Com informações do G1
logomarca do portal meionorte..com