'Empresária do sexo' é suspeita de ligação com morte de embaixador

Embaixador russo foi baleado em uma galeria de arte na Turquia.

Uma mulher identificada apenas como Ekaterina B, de 33 anos, foi presa sob acusação de ligação com a morte do embaixador russo Andrei Karlov, atingido a tiros dentro de uma galeira de arte na Turquia, em dezembro do ano passado. O Kremlin confirmou que Andrei Karlov faleceu após ser levado ao hospital e classificou o ataque de terrorista.

De acordo com informações do Sabah Daily, as investigações apontam que ela, que é 'empresária do sexo', esteve em contato com atirador antes da execução de Karlov por meio de redes sociais e pelo celular. Além disso, Ekaterina já teria trabalhado na indústria do sexo na Turquia, oferecendo garotas de programa para empresários em hotéis de cinco estrelas em Ancara,

Ekaterina B
Ekaterina B


O crime

O diplomata fazia um comunicado em uma exibição de fotos chamada "A Rússia vista pelos turcos" quando foi acertado pelos tiros.

Uma testemunha afirmou que o atirador gritou "Aleppo e "Vingança" após entrar no local se passando por policial. Pouco depois, o atirador foi morto pela polícia, segundo a rede "NTV".

De acordo com a rede BBC, o atirador gritou "Não esqueça sobre Aleppo, não esqueça sobre a Síria" antes de usar a frase islâmica "Deus é grande". Já o "Independent" diz que ele gritou: "Nós morremos em Aleppo, você morre aqui".

Andrei Karlov
Andrei Karlov



Fonte: Com informações do R7
logomarca do portal meionorte..com