Engenheiro é preso por 'esbanjar' em vários hotéis e sair sem pagar

Tiago assumiu que cometeu os golpe: 'Errei'

Quem não gostaria de passar dias em hotéis comendo e bebendo tudo do bom e do melhor e fazendo farras sem pagar um centavo? Essa era a vida mansa que o engenheiro da computação desempregado Tiago Jacob, 30 anos, aproveitava às custas de golpes em hotéis da Grande Vitória. A mordomia acabou nesta quinta-feira (26), quando a Polícia Civil prendeu Tiago em um hotel, em Carapina, na Serra.

Questionado sobre os crimes, Tiago assumiu que cometeu os golpes. "Errei, errei! Vou ter que ressarcir os hotéis", disse.

O delegado Izaías Tadeu Vieira, titular da Delegacia de Polícia de Goiabeiras, disse que os primeiros registros dos golpes são de novembro de 2015. Desde então, as investigações apontam que ele teria praticado o mesmo golpe em oito hotéis e há suspeita de pelo menos mais duas unidades.

“Ele usava dados de cartões bancários clonados para fazer a reserva online. Também fornecia como documento de identificação carteiras de habilitação falsificadas”, contou o delegado.

Após fazer cadastro na recepção, Tiago aproveitava tudo o que podia. Desde as comidas mais caras servidas no hotel até as bebidas. “Ele também fazia festinhas com mulheres dentro dos apartamentos dos hotéis onde ficava”, detalhou o delegado.

Após dois ou três dias, no máximo, o engenheiro deixava uma mala ou uma mochila com qualquer peça de roupa dentro do quarto e saía do hotel. “De forma dissimulada, ele dizia que ia resolver alguns problemas fora do hotel, e que retornaria à noite. Só que não retornava e deixava o prejuízo para os hotéis”, detalhou o delegado Izaías Tadeu.
Em um dos hotéis onde o golpista agiu, o valor do prejuízo chegou a R$ 8 mil.

Engenheiro aplicou golpes em hotel
Engenheiro aplicou golpes em hotel


Golpe
A polícia informou que, além de consumir muita bebida e comida, ao perceber que conseguia sair ileso, o engenheiro começou a passar o serviço de reservas online para outras amigos e colegas para que eles pudessem aproveitar os hotéis da mesma forma que ele. “Ele passou a ter lucro com isso, pois recebia por essas situações”, detalhou o delegado, que não especificou o valor que Tiago recebia.

O engenheiro foi preso em flagrante pelos crimes de falsidade ideológica, uso de documento falso e estelionato.

Fonte: G1