Jovem assassinada foi torturada com pontas de cigarro, diz família

O homem carregou o corpo da jovem na garupa de uma moto.

Na última segunda-feira (01/01), a jovem Stefhani Brito, foi assassinada em Fortaleza e o crime ganhou bastante repercussão. Segundo um parente da garota, que não quis ser identificado, ela já havia sofrido torturas do ex-companheiro com colher quente e ponta de cigarro. Ele, que é o principal suspeito de matar a vítima com ‘golpes de um objeto contundente’, está foragido.

De acordo com informações, a jovem havia terminado com o acusado recentemente e ele pediu para vê-la uma ultima vez, foi quando supostamente ocorreu o crime. Testemunhas revelaram que o criminoso agiu friamente e levou o corpo na garupa de uma motocicleta nas proximidades da Lagoa Libânia, no bairro Mondubim.

A parente explica que o ex-companheiro foi visto muitas vezes na residência onde morava Stefhani e depois da morte não mais apareceu. “Neste mês de dezembro ele estava todo tempo atrás dela [Stefhani]. Ela o recebia, pois não desconfiava de nada e ele não demostrava está com raiva ou algo parecido”, relata.

Outro fato que reforça a participação do ex-companheiro no crime, de acordo com o familiar, é que eles saíram juntos a pedido dele e em seguida ela não mais retornou para a casa. “Ele pediu para ela sair com ele para um lugar para pegar algo. Ela aceitou e foi com ele. Depois daí não vimos mais a Stefhani”.

Ao ser perguntada sobre possíveis agressões causadas pelo ex-companheiro contra a vítima durante o relacionamento de três anos a parente afirmou que ela já havia reclamado para amigas e alguns familiares.

Duas pessoas da família vão prestar depoimento na tarde desta quarta-feira (3) na Delegacia de Defesa da Mulher de Fortaleza (DDM-F). A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso e ainda não tem informações sobre o autor.


Fonte: Com informações do G1
logomarca do portal meionorte..com