Jovem espancado em festa por R$ 15 foi arrastado e está em coma

Caso ocorreu no Baccará Backstage, em Santos, no litoral paulista.

Amigos do jovem que teria sido espancado por seguranças de uma casa noturna em Santos, no litoral de São Paulo, contam que a vítima foi erguida pelo pescoço ainda dentro do estabelecimento e levada para o lado de fora, onde a briga teve continuidade. A confusão começou após ele questionar o valor de R$ 15 que estaria sendo cobrado indevidamente na sua comanda.  assessoria jurídica do bar nega que ele tenha sido agredido por funcionários do local. O jovem segue internado em estado grave.

A vítima foi identificada como Lucas Martins de Paulo, de 21 anos. Segundo a polícia, a confusão aconteceu na madrugada de sábado (7), no Baccará Backstage, localizado no bairro Embaré. O pai do jovem, Isaías de Paula, contou que amigos do filho relataram que ele foi ao caixa para pagar a conta e reclamou de uma bebida que estava sendo cobrada a mais.

De acordo com amigos do rapaz, que preferiram ter suas identidades preservadas, depois da reclamação da cobrança indevida, o garçom responsável foi chamado pelo operador de caixa. Após o funcionário garantir que Martins havia pedido a bebida, os dois começaram a discutir.

 (Crédito: Arquivo Pessoal)
(Crédito: Arquivo Pessoal)

"Nesse momento, sete seguranças pegaram eu e o Lucas pelo pescoço e nos arrastaram para fora. Chegando na calçada, a discussão continuou, e eles disseram que iríamos apanhar. Tentei acalmar os ânimos, mas dois seguranças me deram uma rasteira e um soco no rosto. Os outros formaram uma roda em volta do Lucas e começaram a espancá-lo".

Em nota, a assessoria jurídica do Baccará informou que, após ser retirado do bar, o jovem se envolveu em uma confusão com outras pessoas que estavam do lado de fora, onde foi agredido. Porém, os amigos que estavam no local, no momento do crime, negam a alegação e garantem que não havia ninguém de fora na briga, além dos jovens agredidos e dos seguranças.

A testemunha ainda conta que a vítima levou diversas joelhadas, chutes e socos na cabeça. Em seguida, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas ao chegar ao local, o jovem já estava vomitando sangue e convulsionando. "Em momento algum o responsável pelo bar saiu para ver como estava a situação. Isso é lamentável. Quero justiça".

 (Crédito: Arquivo Pessoal)
(Crédito: Arquivo Pessoal)

Estado grave

Martins chegou à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Central desacordado e entubado. Passou por uma avaliação preliminar e, assim que o pai soube da situação, ainda na madrugada de sábado, pediu transferência do filho para a Santa Casa de Santos.

Segundo boletim médico divulgado pelo hospital, o jovem segue internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) em estado grave, com quadro de politraumatismo. Ele permanece sedado e em coma induzido, "com monitorização da pressão intracraniana no segundo pós-operatório de drenagem de hematoma intracraniano".

"Colocaram um cateter para drenar o sangue coagulado no cérebro. Os médicos dizem que o quadro é grave, e que é preciso aguardar 72 horas para ver qual a situação neurológica dele", conta o pai. O caso foi registrado como lesão corporal no plantão da Delegacia Seccional de Santos.

Fonte: G1
logomarca do portal meionorte..com