Juiz preso por extorquir empresário 170 vezes perde o cargo

Ele deixará de receber aposentadoria de R$ 52 mil

O juiz Gersino Donizete do Prado, preso por extorquir dinheiro de um empresário 170 vezes, perdeu o cargo de magistrado. Com a decisão, o ex-integrante da 7ª vara de São Bernardo do Campo, no ABC, deixará de receber aposentadoria de R$ 52 mil, segundo o Tribunal de Justiça (TJ).

A denúncia foi feita pela Procuradoria Geral de Justiça. Em 2015, o Tribunal de Justiça determinou a aposentadoria compulsória do juiz, alegando que as faltas cometidas por ele eram gravíssimas no que diz respeito a recebimentos de vantagens e benefícios de empresa privada.

O presidente do TJ, desembargador Paulo Dimas de Bellis Mascaretti, porém, determinou que Prado perdesse o cargo de juiz de direito a partir de 31 de outubro. Ele está detido em São Paulo desde o início de outubro.

De acordo com o SP2, o empresário José Roberto Ferreira Rivielo tinha uma empresa que fabricava peças para carros. Quando o negócio ameaçou quebrar, ele entrou com um pedido de recuperação judicial para não ir à falência. O empresário disse que o juiz aceitou o pedido, mas, em troca, exigiu colaborações que começaram em R$ 1 mil e chegaram a R$ 4 mil, R$ 5 mil por semana.

“Era um homem muito fino. Dei relógios caros, dei relógio de R$ 20 mil, de R$ 12 mil, de marcas conhecidas. Dei colar de esmeralda no aniversário da mulher dele”, relatou o empresário.

A condenação de Gersino Donizete foi de 8 anos e 4 meses de prisão em regime fechado, mas a pena foi convertida para o semiaberto, que é quando o preso trabalha durante o dia e dorme no presídio a noite. Por enquanto, o juiz continua no regime fechado porque ainda não apresentou um trabalho fixo.


Juiz perdeu cargo após condenação por extorquir dinheiro de empresário
Juiz perdeu cargo após extorquir dinheiro de empresário


Fonte: G1
logomarca do portal meionorte..com