Morador de rua é queimado vivo e suspeita é de homofobia

Colocaram fogo em um galpão onde o morador de rua dormia.

Um morador de rua identificado apenas pelo nome de Alexandre morreu após o local onde ele costumava dormir, o estacionamento de um galpão na região de Mongaguá, no litoral de São Paulo, ter sido incendiado no último domingo (24). O corpo foi encontrado carbonizado.

Conforme apurou a Polícia Civil, que iniciou investigação, o morador de rua estava dormindo no local, e teria sido queimado vivo no local atingido pelo fogo durante a madrugada.

Alexandre era bastante conhecido e querido pelos moradores da região onde costumava vender panos de prato e artesanato.

Amigos e pessoas próximas afirmam que o crime pode ter sido motivado por homofobia. “Ele era uma pessoa super prestativa e atenciosa. Era homossexual, mas a maioria respeita. Não é a primeira vez que acontece isso. Atearam fogo nele há cerca de dois meses. Como o quiosque onde ele dormia foi vendido, o novo dono não deixou ele ficar lá e, por isso, foi morar nesse local. Ele foi morto por ser homossexual", disse um amigo da vítima. 

Morador de rua identificado apenas como Alexandre
Morador de rua identificado apenas como Alexandre



Fonte: Com informações do G1
logomarca do portal meionorte..com