Mulher que planejou morte de marido com ajuda de amante é procurada

A polícia desconfiou da versão da viúva.

A polícia faz buscas pela mulher suspeita de planejar a morte do ex-marido em Niterói, região metropolitana do Rio. Segundo as investigações, ela e o amante simularam um assalto para executar a vítima e ficar com o seguro de vida do companheiro. De acordo com as investigações, seis meses antes de morrer, a vítima tinha feito dois seguros que somavam o valor de R$ 2 milhões e a esposa era a beneficiária.

Nesta quarta-feira (7), agentes da DH (Delegacia de Homicídios) foram a Cabo Frio, Região dos Lagos, após uma denúncia que informava que Rafaella Damas Ribeiro dos Santos, 29 anos, estava escondida na casa de praia da família. A mulher não foi encontrada.

De acordo com a polícia, no dia do crime, Rafaella disse ao marido que queria sair para jantar, por volta das 23h30. Mesmo a 30 minutos de fechar, William atendeu ao pedido da companheira e a levou até o restaurante. O casal seguiu por uma estrada de pouco movimento, caminho sugerido por Rafaela, quando foi abordado por criminosos.

Imagens de câmeras de segurança registraram a movimentação do carro com os assaltantes circulando por ruas próximas à estrada em que o casal estava momentos antes do crime. As imagens também mostram o carro da vítima sendo seguido pelo veículo dos suspeitos. A polícia desconfiou da versão de roubo. De acordo com o delegado Fábio Barucke, o caso não se trata de latrocínio, mas de execução.

Dois dias depois da morte do marido, Rafaella entregou os documentos para a retirada do valor do seguro junto às empresas. Com os R$ 860 mil que havia recebido, a viúva viajou para a Europa com a mãe. William, de 29 anos, era oficial da Marinha Mercante e trabalhava embarcado. Ficava 15 dias em casa e 15 em uma plataforma no mar. Segundo as investigações, quando o marido ia trabalhar, a esposa fazia festas no apartamento do casal.

De acordo com informações, Victor Marins Ribeiro Tavares, 25 anos, o Vitinho Mete Bala, seria amante de Rafaela. Os dois teriam se conhecido em um baile funk. Vitinho Mete Bala é apontado como chefe do tráfico na Grota do Surucucu, na região oceânica de Niterói. Conversas em um aplicativo de mensagens instantâneas pelo celular mostram Vitinho falando sobre a remessa de drogas da comunidade. O criminoso está preso e é suspeito de envolvimento na morte de William.

Image title

Image title

Image title

Fonte: Com informações do R7