Operação evita fuga e apreende objetos na Penitenciária Irmão Guido

Os pavilhões A e D passaram por vistoria.

A Secretaria de Justiça do Piauí (Sejus) realizou, na madrugada desta quarta-feira (6), a Operação Raposa Presa, que evitou uma fuga e apreendeu objetos ilícitos na Penitenciária Regional Irmão Guido, em Teresina.

Informações apuradas pela Diretoria de Inteligência e Proteção Externa da Sejus, a Dipe, apontaram que uma fuga estava sendo articulada para esta quarta. A Operação, coordenada pela própria Dipe, constatou que, de fato, detentos planejavam fugir.

De acordo com o tenente coronel Luís Antônio Pitombeira, diretor da Dipe, uma cela do pavilhão A estava com grades serradas e duas com buracos sendo cavados e em avançado estado de profundidade.

"Uma ação bem articulada e eficaz, com trabalho conjunto de policiais militares e agentes penitenciários. A Secretaria de Justiça está pronta para agir e coibir qualquer ação que vise subverter a ordem no sistema", pontua Pitombeira.

O preso Ítalo da Silva Araújo, identificado como o articulador da possível fuga, foi isolado e a Secretaria de Justiça vai aplicar medidas disciplinares. Entre os objetos encontrados estão drogas (como cocaína), ferros, fios e 12 celulares.

O gerente da Irmão Guido, Josiel Lima, analisa que a Operação reforça a segurança no presídio. "Recebemos a informação através da Dipe, checamos e confirmamos a tentativa de fuga, de modo que conseguimos manter a ordem na unidade", diz.

Os pavilhões A e D passaram por vistoria. Cerca de 40 homens participaram da Operação - Rone; Força Tática da PM; policiais militares do Grupo de Intervenção da 4ª Companhia de Presídios, da Irmão Guido e da Dipe; e agentes penitenciários.

O secretário de Justiça, Daniel Oliveira, expediu uma recomendação para a gerência da Penitenciária Irmão Guido, com o objetivo de elevar o nível de alerta na unidade. A Operação continuará nesta manhã, com a realização de uma vistoria em todos os pavilhões.

"Encaminhamos uma recomendação para a gerência, agentes penitenciários e policiais militares, para reforçarem a atenção na unidade, de maneira a evitarmos fuga e outros distúrbios. Além disso, solicitamos um novo posto de vigilância interna no presídio e o reforço das ações da Polícia Militar na proteção externa da penitenciária", ressalta.


Fonte: Ascom