Pastor assassinado teria abusado do próprio sobrinho, diz polícia

O assassinato do pastor pode estar ligado com abuso sexual.

Um pastor evangélico identificado como Custódio Gonçalves, de 57 anos, foi assassinado a tiros dentro da Assembleia de Deus Ministério Apascentando Ovelhas, durante um culto na noite de domingo (26) no bairro Santo Antônio, em Manilha, Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. A morte do pastor pode estar ligada com abuso sexual.

De acordo com delegado da Divisão de Homicídios, Fábio Barucke, Custódia é suspeito de ter abusado sexualmente de um sobrinho, uma criança de apenas dois anos de idade. “O fato gira em torno deste abuso sexual que essa criança teria sofrido. Foi constatado sangue no reto da criança, a criança teria dito que estava sob a custódia do pastor e, logo depois desse fato, a criança foi entregue para o pai. O pai está prestando depoimento na delegacia. A princípio ele nega [a autoria do crime contra o pastor], mas temos relatos que ele ficou revoltado com a situação do pastor que estava com a custódia do filho dele”, afirmou.

Segundo o delegado, as informações  ainda são preliminares e dão conta que a criança estava sob custódia do religioso. "Outros relatos dizem que o pai é regresso do sistema penitenciário. Ele estava preso sob a suspeita de ter matado sua ex mulher, estava preso por sete meses. Durante esse tempo, o filho ficou sob a custódia do pastor e agora na saída do presídio ele se depara com essa situação do filho sendo abusado. Com a morte do pastor ele se torna o principal suspeito”, informou.

Em depoimento, suspeito alegou que traficantes da região teriam cometido crime.


Fonte: Com informações do G1
logomarca do portal meionorte..com