Polícia acredita que banhistas mortos em praia foram executados

Outras duas pessoas vítimas dos disparos sobreviveram

A Polícia acredita os dois banhistas que foram baleados e morreram na noite da última quinta-feira (29), dentro de um quiosque na praia da Enseada, em Guarujá, no litoral de São Paulo, tenham sido executados. Outras duas pessoas vítimas dos disparos sobreviveram e permanecem internadas no Hospital Santo Amaro sem previsão de alta.

Segundo apurado pela reportagem, Raphael Gonçalves, de 31 anos e Tiago Silva de Araújo, de 32 anos, eram ex-policiais e estavam dentro do Quiosque 'É Show', quando foram atingidos por vários tiros. O crime aconteceu por volta das 18h40.


Testemunhas disseram que os disparos teriam partido de dois jovens que estavam com aventais brancos e armados. Justamente por isso, a polícia acredita na hipótese de execução, já que nada foi levado das vítimas ou do estabelecimento. Até o momento, ninguém foi preso.

Sobreviventes
Os dois sobreviventes do crime estão internados no Hospital Santo Amaro, em Guarujá. Euberton Alan de Oliveira, de 34 anos, foi encaminhado pela viatura do Resgate e chegou à unidade de saúde às 19h, com ferimentos na região torácica e abdominal. Ele foi evado direto pra centro cirúrgico e, segundo a assessoria do Hospital, está internado, permanece consciente e comunicativo, mas ainda não há previsão de alta.


Já Marcos Paulo Monteiro da Silva, de 21 anos chegou ao Hospital Santo Amaro às 19h43, encaminhado pela viatura do SAMU. Ele está consciente, comunicativo e caminhando. O jovem teve um ferimento na mão e foi suturado logo no primeiro atendimento. A vítima também não tem previsão de alta.

Fonte: Com informações do G1
logomarca do portal meionorte..com