Polícia confirma conjunção carnal no caso da filha de Sarney Neto

Acusado segue preso e confessou autoria do crime contra cunhada.

Uma coletiva realizada na manhã desta sexta-feira (16), na sede da Secretaria de Segurança Pública (SSP) mostrou que houve conjunção carnal no estupro sofrido por Mariana Costa pelo seu cunhado Lucas Porto. Os resultados constavam em laudos periciais que reforçam as investigações. O empresário confessou o homicídio. A vítima é filha do ex-deputado estadual Sarney Neto. 

De acordo com o secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, o assassino confesso Lucas Porto havia negado a conjunção carnal e afirmou que ejaculou fora do corpo da vítima, versão contrariada pelos últimos resultados divulgados. O crime aconteceu no dia 14 de novembro no apartamento da vítima que fica no bairro Turu, em São Luís.

Mariana Costa
Mariana Costa

A perícia constatou também que nenhum dos dois tinha feito uso de entorpecentes no dia do crime. O secretário de Segurança Pública, Jeferson Portela explicou que se trata de um crime  extremamente violento. 

"Foi um crime cometido com extrema violência e crueldade contra uma mulher, sem chances de defesa. A vítima foi surpreendida enquanto dormia. Ele podia ter ido embora quando ela estava apenas desmaiada, mas ele a sufocou usando um travesseiro, decidindo finalizar a vida dela”, afirmou.

Segundo o secretário, o acusado permaneceu [40 minutos] no apartamento da vítima e tentou modificar a cena do crime. "Após a consumação dos crimes, ele modificou o cenário, tentando voltar aparências de normalidade. Ele gastou tempo arrumando a cama, lençóis e para tentar dar uma normalidade. Portanto, ele gastou tempo arrumando o quarto da vítima para depois sugerir suicídio ou qualquer outra eventualidade, e não o ato criminoso praticado por ele", disse. 

O perito Miguel Alves explicou que Lucas estuprou, esganou e depois asfixiou Mariana. “A vítima se debateu muito tentando se desvencilhar do criminoso. Isso é o que demonstram as diversas escoriações encontradas no corpo da vítima, nas pernas, nos braços e até na cabeça. Lesões que demonstram tentativa de defesa e que ela se debateu por conta do sofrimento”, declarou. 

Lucas Porto
Lucas Porto


Fonte: Com informações do G1-MA
logomarca do portal meionorte..com