Polícia faz operação e prende acusados de abuso contra crianças

Operação foi deflagrada na cidade de Esperantina.

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Regional Esperantina deflagrou, na manhã desta sexta-feira (30/06), a operação “Proteção Integral”,  visando dar cumprimento a sete mandados de prisão nas cidades de Esperantina e Morro do Chapéu.

A ação tem foco em investigações sobre a prática de crime de estupro de vulnerável, onde crianças e adolescentes sofrem, supostamente, abusos sexuais por parte de parentes e pessoas próximas.  Todo trabalho foi conduzido pela equipe da Delegacia de Esperantina  e contam com o acompanhamento dos Conselhos Tutelares de Morro do Chapéu e de Esperantina, além do Ministério Público.

Todos os mandados de prisão foram solicitados com base em base probatória colhida durante a investigação promovida pela Delegacia Regional de Esperantina. Os mandados de prisão estão sendo cumpridos pela DRPC de Esperantina com o apoio da Gerência de Polícia do Interior e das Delegacias de Campo Maior, Pedro II, Luzilândia, José de Freitas e Batalha. Até o momento já foram presos quatro homens.

De acordo com o coordenador de policiamento do interior da Polícia Civil, Everton Férrer, a operação é fruto de uma intensa investigação da delegacia de Esperantina comandada pelo delegado Leonardo. “O delegado Leonardo fez toda essa investigação, são sete inquéritos policiais diferentes resultando em diversas vítimas crianças e  adolescentes vítimas de estupro de vulnerável, e cinco mandados de prisão foram cumpridos até agora. Toda essa operação é uma continuidade do trabalho que vem sendo desenvolvido no interior ja que há 15 dias tivemos uma operação muito exitosa em Água Branca no combate ao abuso de crianças e adolescentes relacionada a questão de estupro que infelizmente ocorre no interior do estado. A gente tem dedicado esse trabalho e ele vai ter continuidade não só em Esperantina e Água Branca, mas também nos demais municípios do interior”, disse.

O coordenador destacou ainda que infelizmente a maioria dos crime são cometidos por pessoas mais próximas. “São padrastos, parentes próximos a essas pessoas. Algumas procuraram a delegacia, outros foram por meio do Conselho Tutelar  que está realizando um excelente trabalho em Esperantina e Morro do Chapéu, vale a pena ressaltar. Também podemos destacar o papel do Ministério Público de Esperantina. Existem laudos comprovatórios de violência, o inquérito vem angariado de provas, tanto que o juiz não teve dúvidas e expediu o mandado de prisão sendo dado cumprimentos de uma vez justamente para chamar a atenção da problemática. O nome da operação é justamente esse que vem de um dos princípios do ECA onde deve haver uma proteção por parte de todos os órgãos sobre as crianças e os adolescentes”, destacou.

Fonte: Portal MN
logomarca do portal meionorte..com