Polícia investiga participação de mototaxista em explosão de banco

Polícia ainda encontrou uma arma no local

A Polícia Civil continua as investigações a fim de identificar os criminosos que explodiram os caixas eletrônicos da agência São Benedito do Banco do Brasil, localizada no bairro Catavento, em Picos. O crime, que aconteceu na madrugada desta sexta-feira (30), por volta das 4h.

A Polícia Militar chegou ao local e ainda houve troca de tiros com os assaltantes. Segundo o delegado responsável pelo caso, no local foi encontrada uma pistola, possivelmente deixada por um dos assaltantes, e várias marcas de sangue, o que indica que um deles pode ter se ferido ou por estilhaços de vidro no momento da explosão ou na troca de tiros com a polícia.

“Estamos verificando se trata-se da mesma quadrilha. As investigações da prefeitura estão bastante adiantadas, então faremos um cruzamento de dados para obter esta informação”, disse.


A agência ainda não realizou o levantamento da quantia levada, mas há a possibilidade de que o valor seja alto em razão dos caixas estarem abastecidos para o final de ano.

Todo o policiamento de Picos está mobilizados na busca pelos criminosos. “Esperamos que logo sejam encontrados, e frisar que um está ferido, então a qualquer momento este criminoso possa ser capturado”.

Até o momento a polícia tem apenas o relato de uma testemunha que passava pelo local durante o crime. O homem foi encaminhado à delegacia, onde foi ouvido e aguarda confirmação das imagens das câmeras de segurança. 


“Segundo nos informou, ele passava pelo local no momento na explosão, então ainda estamos verificando, estamos escutando esta pessoa para obter maiores detalhes da ação criminosa”.

Sobre a possibilidade da testemunha estar envolvida na ação, Sena afirmou que somente após a verificação das imagens será possível confirmar ou não sua participação, mas até o momento a informação oficial é de que ele foi rendido pelos assaltantes.

“Ele afirmou ser mototaxista e que passava pelo local quando foi rendido por um dos assaltantes. Essa foi a informação preliminar que ele nos passou, e quando a PM chegou, ele realmente saiu correndo em direção à polícia dizendo que tinha sido assaltado”, disse Sena.

Sobre as investigações, o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO) é o órgão responsável por investigar este tipo de ação criminosa, que tem ocorrido com frequência nos últimos meses, mas a delegacia de Picos também deu início a uma investigação a fim de desvendar a quadrilha que vem atuado na região.

Fonte: Com informações do Grande Picos
logomarca do portal meionorte..com