Presos interrompem rebelião em presídio do RN para culto evangélico

Maior penitenciária do RN tem rebelião desde sábado (14).

Parte dos presos da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte,  interromperam a rebelião que acontece desde sábado (14) para a realização de um culto evangélico nesta sexta (20). Os detentos entoaram músicas religiosas e fizeram orações.

Além de um violão, os presos contavam com caixa de som, microfones, cadeiras de plástico e até um púlpito para a celebração religiosa.

Apesar da pausa para o culto, o clima continua tenso na unidade prisional. Desde sábado, pelo menos 26 presos já morreram na rebelião. Na manhã desta sexta os presos continuavam soltos pelos pavilhões e pelos pátios do presídio. Também era possível ver detentos sobre os telhados da unidade.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, está em Natal e disse que o governo federal não vai "admitir descontrole". Militares das Forças Armadas estão na capital potiguar para garantir a segurança nas ruas.

Também nesta sexta (20), cinco presos do PCC se negaram a sair de Alcaçuz para progressão do regime fechado para o semiaberto. Outros onze detentos foram levados de Alcaçuz para o Complexo Penal João Chaves, onde deverão cumprir o semiaberto. Nesta situação, eles passam o dia fora da unidade e só voltam para dormir. Um outro preso saiu pela porta da frente de Alcaçuz em cumprimento a um alvará de soltura.

O Corpo de Bombeiros resgatou três presos que estavam feridos dentro da penitenciária.

Nesta quinta-feira (19), houve novo confronto entre os presos. A PM diz que há mais mortos, mas ainda não sabe quantos.

Onze presos deixaram a Penitenciária nesta sexta em cumprimento a ordens judiciais de progressão do regime fechado para o semiaberto. Um preso saiu por força de um alvará de soltura e outros cinco - membros do PCC - se negaram a deixar a unidade, apesar de terem direito a progressão de regime.

Image title

Image title

Fonte: Com informações do G1