Quadrilhas roubaram R$ 1,5 milhão de caixas eletrônicos no Piauí

Foram 15 explosões, com uma média de R$ 120 mil por assaltos.

O secretário estadual de Segurança Pública, Fábio Abreu, afirmou que as três quadrilhas especializadas na explosão e assalto de caixas eletrônicos no Piauí, que têm a participação de 30 assaltantes, sendo que 22 estão presos, incluindo um adolescentes, conseguiram ter êxito, em 15 explosões, com uma média de R$ 120 mil por assaltos, o que soma cerca de R$ 1,5 milhão, roubados em Teresina, Picos, Parnaíba e Luís Correia.

“Os assaltantes obtiveram sucesso em dez a 15 assaltos, com uma média de R$ 120 mil por cada estouro”, disse o secretário Fábio Abreu.

O coordenador do Grupo de Repressão ao Crime Organizado, delegado Willame Moraes, disse que o trabalho teve início em agosto de 2016.

Segundo ele, foi feito um trabalho minucioso, identificando a forma como eles utilizavam os armamentos e explosivos e o local de armazenamento.

“Fizemos algumas prisões em flagrante, separadas uma da outra, com o intuito de conseguir prender todos os envolvidos”, declarou o delegado Willame Moraes.

O Greco não encontrou nenhuma vinculação dos integrantes das quadrilhas especializadas em explosão e assalto a caixas eletrônicos ao Primeiro Comando da Capital (PCC) e Comando Vermelho (CV), mas o delegado Gustavo Jung, do Greco, não descarta a possibilidade de vinculação das quadrilhas com facções nacionais.

“É possível que exista alguma vinculação. Por outro lado, sem dúvida alguma, nós também temos um trabalho preventivo para conseguir tirar esses indivíduos de circulação. No Piauí, o que se pode perceber é que não havia muitos estouros dessa forma. Acontece que algumas pessoas daqui migraram essa prática criminosa e começaram a fazê-la”, declarou Gustavo Jung.

Batizada de “Operação Cash”, as buscas tinham o objetivo de desarticular quadrilhas na capital e no interior do Piauí. Três grupos foram identificados, cada um com características distintas de atuação (explosão em caixas, roubos a carro forte e ataques aos bancos). Cada membro teria uma função específica – participação direta nas ações, levantamentos dos locais, olheiros, armazenamentos de armas e demais materiais, aquisição e/ou roubo de veículos que seriam usados nos crimes e pilotos de fuga.

A polícia destacou 15 eventos criminosos contra agências bancárias, caixas eletrônicos e carros fortes no Piauí, de agosto de 2016 a janeiro de 2017. Desse total, 10 alvos foram em Teresina, tendo como destaque dois postos do Detran e uma explosão na Universidade Federal do Piauí (Ufpi). A Operação Cash já capturou 22 pessoas, sendo uma adolescente apreendida, expedição de quatro mandados de prisão preventiva, 12 armas de fogo apreendidas, munição e equipamentos explosivos, além de drogas e balanças de precisão.


Fonte: Efrém Ribeiro, do Jornal Meio Norte
logomarca do portal meionorte..com