Policiais federais realizam protesto contra Reforma da Previdência

Policiais ameaçam grevar caso a proposta não seja modificada

Nesta quarta-feira (05), os policiais federais de todo o país agendaram uma mobilização para discutir a possibilidade de greve em protesto à (PEC) 287/2016, que trata da reforma da Previdência Social. O protesto é organizado pela Federação Nacional dos Policiais Federais e seus 27 sindicatos dos policiais federais de todo país.

O representante do Sindicato dos Policiais Federais do Piauí, o agente federal Marcos Vinícius, concedeu entrevista ao jornalista Gilvan Barbosa, no programa Fogo Cruzado, da FM Jornal Meio Norte, e explicou que o protesto acontece para que a segurança pública brasileira não venha a sofrer um “desmonte”. A manifestação ainda envolve agentes de outras polícias.

"A partir de amanhã todos os policiais, não apenas os federais, estarão mobilizados contra esse projeto que inaugura uma reforma da previdência. Estamos todos irmanados, buscando o dialogo e a negociação para que a segurança pública não venha a sofrer um desmonte”, explicou.

Representante do Sindicato dos Policiais Federais (Crédito: Mayara Dias)
Representante do Sindicato dos Policiais Federais (Crédito: Mayara Dias)

Ainda segundo Marcos Vinícius, a medida do Governo Federal que autoriza os estados a criarem seus próprios critérios de aposentadoria para os policiais é uma “aberração jurídica”. 

"Até o momento, as polícias estão na PEC e por uma estratégia, diante da pressão dos estados, o governo excluiu as polícias estaduais, deixando a cargo de cada governador decidir sobre isso. Essa é uma aberração jurídica que poderia criar critérios diferenciados de aposentadoria para a mesma atividade, o policial do estado vizinho iria aposentar com regras diferentes do outro”, disse. 

Representante do Sindicato dos Policiais Federais (Crédito: Mayara Dias)
Representante do Sindicato dos Policiais Federais (Crédito: Mayara Dias)

Marcos Vinícius ressalta que a reforma da previdência proposta é um prejuízo para o trabalhador brasileiro, devido a idade avançada exigida para o recebimento do benefício. 

"Em linhas gerais essa é uma reforma profunda, muito prejudicial ao trabalhador brasileiro, tendo em vista que fixa uma idade mínima bem avançada. Fazendo uma conta matemática simples, para que você possa se aposentar aos 65 anos, teria que começar a trabalhar aos 16 e o Brasil proíbe o trabalho do menor de idade. Até porque, por uma exigência do mercado, ninguém entra mais no mercado com 18 ou 19 anos, como é o caso da Polícia Federal, onde ninguém entra com menos de 25 anos de idade, é muito raro”, afirmou. 

Em Teresina, o ato da categoria acontecerá em frente às Superintendências da Polícia Federal, na avenida João XXIII, e contará com a participação de servidores todos os cargos da carreira policial (Agentes, Peritos, Delegados, Escrivães e Papiloscopistas).

Fonte: Portal Meio Norte
logomarca do portal meionorte..com