SEÇÕES

Policial Militar de São Paulo algema suspeito, desmaia e morre em seguida

O caso ocorreu nessa sexta-feira (28). Na ocasião, o PM havia acabado de prender um suspeito de atear fogo às margens da rodovia, quando passou mal

Militar morre após sofrer infarto em São Paulo | Reprodução
FACEBOOK WHATSAPP TWITTER TELEGRAM MESSENGER

O cabo da Polícia Ambiental de São Paulo, Claudio da Silva Faber, 41, morreu após sofrer um infarto enquanto atendia uma ocorrência, em São Sebastião, no litoral norte do estado. O caso ocorreu nessa sexta-feira (28). Na ocasião, o PM havia acabado de prender um suspeito, quando passou mal.

Segundo a Polícia Ambiental, Cláudio, fazia patrulhamento na Rodovia BR-101 (Rio-Santos) com um colega, quando um homem de 39 anos foi flagrado ateando fogo às margens da rodovia. O suspeito, um andarilho, resistiu à abordagem, dando socos e mordendo os militares. Os agentes conseguiram contê-lo e, na sequência, o algemaram.

"Esse rapaz estava às margens da rodovia colocando fogo em alguns materiais plásticos e a fumaça já atrapalhava a visibilidade do local. Ao abordarmos, ele reagiu, estava muito agressivo, parecendo estar sob efeito de entorpecentes, e demoramos alguns minutos para conseguirmos algemá-lo", relata o cabo Michel, que estava na ocorrência com Cláudio.

Militar passou mal

Após imobilizar o suspeito, Cláudio se levantou e caminhou em direção à viatura para checar os antecedentes criminais do homem, mas, antes de chegar ao veículo, desmaiou. Um carro da Polícia Civil, que estava próximo do local, foi usado para socorrer o militar até a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de São Sebastião, mas ele não resistiu e morreu logo após dar entrada na unidade de saúde. 

No hospital, foi constatado que o cabo teve uma parada cardiorrespiratória. "Ele estava normal, brincando, não havia reclamado de nenhuma dor ou desconforto", diz Michel.

Michel também foi agredido com dois socos e uma mordida pelo suspeito, passou por atendimento médico e foi liberado na sequência. O suspeito foi levado para a delegacia e liberado após prestar depoimento.

Militar há 18 anos

Cláudio integrava a PM há 18 anos e estava há cerca de dez meses atuando na Polícia Ambiental, integrando o batalhão da cidade de Guarujá, no litoral paulista. Ele era casado e deixa dois filhos, uma menina de 11 anos e um menino de cinco anos. 

Em nota, a Polícia Militar do Estado de São Paulo lamentou a morte do policial e agradeceu pelos anos de serviços prestados na corporação. "Nesse momento de dor, unimos nossos sentimentos aos da família e elevamos nossos pensamentos em Deus, rogando-lhe que, por meio de seu grande amor, possa consolar os corações e curar as feridas dessa separação", diz trecho da nota.

Com informações do UOL



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos