Advogado de Michel Temer entrega à CCJ defesa da denúncia da PGR

Antônio Cláudio Mariz disse que Michel Temer não cometeu crime

O advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira entregou na tarde desta quarta-feira (5), à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, a defesa do presidente Michel Temer em relação à denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da República (PGR) por corrupção passiva.

Mariz chegou à CCJ por volta das 16h e, pouco depois, o presidente da comissão, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), se dirigiu à sala onde estava o advogado.

Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, declarou nesta que Temer não cometeu crime e que a denúncia da Procuradoria Geral da República por corrupção passiva é baseada em suposições.

Mariz deu a declaração no Salão Verde da Câmara dos Deputados, logo após apresentar à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) a defesa do presidente.

"O presidente da República não cometeu crime e lanço o desafio para que demonstrem através de um único indício que seja, o mais frágil que seja. [...] A defesa está consciente que a denúncia não se funda em prova, é uma peça de ficção baseada em hipótese, em suposições", disse Mariz.

Questionado sobre se Temer, por ter sido deputado, cogita se defender pessoalmente na Câmara, Antônio Mariz respondeu: "Ele tem advogado. Caso ele deseje vir, ele o fará".

Temer foi denunciado na semana passada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, com base nas delações dos executivos do grupo J&F, que controla a JBS. Para o Supremo Tribunal Federal (STF) poder analisar se aceita a denúncia, a Câmara precisa autorizar o prosseguimento da acusação.

Advogado de Michel Temer
Advogado de Michel Temer


Mariz protocolou a defesa de Temer na CCJ no dia seguinte à abertura do prazo de 10 sessões para que os advogados entregassem o documento.

Com a entrega dos argumentos da defesa, a CCJ terá de até cinco sessões do plenário para discutir e votar um parecer, elaborado pelo deputado Sérgio Zveiter (PMDB-RJ). O parlamentar foi indicado para a função nesta terça pelo presidente da comissão, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG).

O relatório de Zveiter poderá recomendar a constitucionalidade da denúncia ou arquivamento da acusação. Ele já disse que com ele "não tem pressão".

O presidente da CCJ, Rodrigo Pacheco, afirmou nesta quarta que o relator pode apresentar o parecer já na segunda-feira (10).

Dois dias depois, na quarta-feira (12), os deputados que integram a CCJ deverão começar a discutir o relatório de Zveiter.

A repórter Samantha Cavalca, correspondente da Rede Meio Norte em Brasília, mostrou o exato momento em que o advogado de Temer chega à CCJ da Câmara para entregar a defesa do presidente. Veja no vídeo abaixo:




Fonte: G1