Após decisão do STF, Sérgio Moro manda soltar José Dirceu

Ontem, a Segunda Turma do Supremo decidiu, por 3 votos a 2.

Um dia após decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), o juiz Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância, decidiu nesta quarta-feira (3) que o ex-ministro José Dirceu (PT) use tornozeleira eletrônica ao deixar a prisão e não saia da cidade de seu domicílio, Vinhedo (SP).

Ontem, a Segunda Turma do Supremo decidiu, por 3 votos a 2, que Dirceu deveria deixar a prisão. Dirceu está detido em Curitiba desde 2015. Ele foi ministro-chefe da Casa Civil do primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), entre 2003 e 2005.

No despacho, Moro diz que, "considerando que José Dirceu já está condenado a penas totais de cerca de trinta e dois anos e um mês de reclusão, há um natural receio de que, colocado em liberdade, venha a furtar-se da aplicação da da lei penal".

Por esse motivo, o juiz diz que, "a prudência recomenda então a sua submissão à vigilância eletrônica e que tenha seus deslocamentos controlados".

Confira as condições impostas por Moro: monitoramento por tornozeleira eletrônica; proibição de deixar a cidade de seu domicílio, em princípio, Vinhedo (SP); proibição de se comunicar, por qualquer meio ou por interpostas pessoas, com os coacusados ou testemunhas; comparecimento a todos os atos do processo e atendimento às intimações, por telefone, salvo se dispensado pelo Juízo; proibição de deixar o país; entrega em Juízo de seus passaportes brasileiros e estrangeiros;


Fonte: Com informações do G1