"É a queda do nosso sistema democrático", afirma Ananias Ribeiro

O comentarista político comentou sobre a atual situação do país.

Na noite desta quarta-feira (17/05), os donos do frigorífico JBS, Joesley e Wesley Batista, disseram em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR) que gravaram o presidente Michel Temer dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), depois que ele foi preso na operação Lava Jato.

Por conta disso, o Brasil vive momentos de tensão na política. Dois senadores da oposição já entraram com um pedido de impeachment contra o presidente Michel Temer, enquanto outros esperam a sua renúncia. De acordo com o comentarista político do Grupo Meio Norte de Comunicação, Ananias Ribeiro, agora sim é possível entender porque a tão esperada delação de Eduardo Cunha não foi feita.

“Tem muita gente da oposição e contra o governo Temer assistindo de camarote toda essa situação e isso é muito prejudicial ao país, é uma queda do nosso sistema democrático envolvido de forma ainda mais grave. Mesmo investigado, mesmo negociando delação ainda vem pagamento de propina como foi feito com Eduardo Cunha e o pior, com o aval do presidente da República”, comentou.

Ainda segundo Ananias, na manhã desta quinta-feira (18/05), a Polícia Federal e o Ministério Público Federal cumpriram mandados em endereços ligados a Aécio Neves justamente por conta da exposição dada ontem e para evitar que os acusados pudessem usar de algum meio para se desfazer de provas.

Sobre a atual situação do PSDB, Ananias afirmou: “O PSDB já vem sofrendo com suas lideranças há um bom tempo, todas elas envolvidas com a operação Lava Jato, não é a toa que João Doria começou a despontar como nome do partido. Nós temos envolvidos o Geraldo Alckmim, José Serra e o Aécio, o partido está com dificuldade de montar um nome para as próximas eleições. Inclusive Lula falou em entrevista que se tivesse um candidato que representasse os banqueiros era esse que ele quer enfrentar, se referindo ao Doria”, disse.

“Mesmo durante essa negociação da delação de Cunha dentro da Lava Jato ele continuou a receber propina, os negócios escuros continuaram acontecendo, mesmo com a Lava Jato atuando, isso abre um precedente para que nós possamos imaginar o que está acontecendo dentro da Lava Jato  no momento que as operações de pagamento de propina ainda se desenrolam no país”, finalizou o jornalista.

Fonte: Portal MN
logomarca do portal meionorte..com