Edson Fachin dá até sexta para Temer responder às perguntas da PF

Prazo para o presidente responder ao questionário venceria hoje

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Edson Fachin autorizou nesta terça-feira (6) o presidente Michel Temer a responder até a próxima sexta (9), às 17h, às perguntas da Polícia Federal sobre as delações da JBS.

Na decisão, Edson Fachin considerou que a prorrogação do prazo, que venceria nesta terça, não prejudicaria as investigações sobre o presidente.

"Em análise pautada pelo princípio da razoabilidade, compreendo possível deferir o pleito, especialmente considerando o número de perguntas formuladas, bem como o fato de que, em princípio, não adviria prejuízo à investigação a postergação do prazo anteriormente assinalado", escreveu o ministro do STF.

Mais cedo, nesta terça, a defesa de Temer pediu mais tempo para responder às perguntas, sob a argumentação de que seria "absolutamente impossível" o presidente responder às 82 perguntas no prazo de 24 horas fixado pelo ministro Fachin - Temer tem o direito de não prestar os esclarecimentos.

O prazo para o presidente responder ao questionário venceria na tarde desta terça e a PF teve dez dias para elaborar as perguntas.

O interrogatório foi autorizado pelo ministro Edson Fachin no inquérito aberto para investigar o presidente pelos crimes de obstrução de Justiça, corrupção passiva e organização criminosa.

O inquérito foi aberto após as delações de executivos da JBS na Operação Lava Jato.

Desde que as delações se tornaram conhecidas, o presidente tem concedido entrevistas, divulgado notas e feito pronunciamentos para rebater as acusações dos delatores. Ele nega, por exemplo, ter atuado para beneficiar a JBS junto ao governo.


Michel Temer
Michel Temer


Fonte: G1
logomarca do portal meionorte..com