Entrevista de Lula para Rádio Jornal MN repercute no exterior

"Estou muito otimista e disposto a lutar pelo Brasil”, disse

A entrevista exclusiva que o ex-presidente Lula concedeu na manhã desta terça-feira(11) para a Rádio Jornal Meio Norte (90.3) foi destaque em vários sites nacionais e internacionais como o El Pais.




O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, concedeu nesta terça-feira (10), entrevista exclusiva - por telefone, para o programa Notícias da Boa, apresentado pela jornalista Cinthia Lages, através da Rádio Jornal Meio Norte (90.3 FM), e se mostrou bastante otimista quanto ao futuro político do Brasil. Lula agradeceu ao apoio da população piauiense e afirmou que o país deve passar por uma transformação política para voltar a crescer.

Questionado sobre os cortes de programas federais na educação em instituições de ensino em todo país, inclusive, no Piauí, o ex-presidente destacou que só a educação tem o poder de transformar uma sociedade. “Com a educação, nós temos um Brasil muito mais preparado do ponto de vista cientifico, tecnológico e muito mais competitivo, então a gente não pode fazer cortes, precisamos montar cada vez mais escolas técnicas de modo a fortalecer a dignidade humana, porque a única coisa garante igualdade entre os povos é a educação”, disse.

Lula destacou que quando existe a formação de um jovem na escola técnica, na verdade está se investindo no futuro do Brasil. “O Brasil vai ser muito mais preparado e competitivo, nos temos que montar e fortalecer programas como o Pronatec, que  devem continuar existindo, porque só a educação tem o poder de mudar a realidade socioeconômica do pais, o povo não pode perder  a esperança, porque nós temos que transformar o Brasil”, enfatizou.


A jornalista citou o artigo escrito pelo ex-ministro Nelson Jobim, intitulado “Quando o Lula vai ser preso?”, questionando a inexistência de fatos que justifiquem essa prisão e permeia o imaginário brasileiro e de acordo com Lula, essa situação não o preocupa, pois tem a consciência tranquila de que não cometeu nenhum crime político e  há três anos espera ser apresentado uma prova contra ele.

"Eu parto do pressuposto que alguém, para ser preso, precisa ter cometido um crime e a polícia e a Justiça tem que ter prova para condenar uma pessoa. E eu volto a repetir: eu duvido que tenha um empresário neste país, qualquer que seja, daqueles que estão presos, daqueles que estão livres e que possam dizer, em alto e bom som, que um dia o ex-presidente Lula pediu cinco centavos para eles. A única coisa que eu peço é que não tendo prova, peçam desculpas a mim. Eu volto para casa para cuidar da minha família. Prenda quem quiser para me denunciar e espero que apresentem uma prova contra mim. Só isso”, afirmou.

Com relação ao futuro político, o ex-presidente Lula adiantou que está preparado para ser candidato à presidência em 2018. “Quero dizer ao povo do Piauí que estou disposto a voltar a ser candidato a presidente da República. Eu acho que a arte de governar é você cuidar do povo. Não sei o que vai acontecer comigo. Eu estou muito preparado para voltar a ser presidente da República e sinceramente, acho que o povo brasileiro tem saudade do tempo em que eu fui presidente da República. Quanto mais eu penso em não concorrer, mais eles me provocam, mais eu penso em concorrer. Eles sabem, eles têm consciência de que sou capaz de consertar esse país. Não por mérito meu, mas porque eu tenho capacidade de ouvir o povo. O Brasil não merece sofrer como está sofrendo agora. Estou muito otimista e disposto a lutar pelo Brasil”, pontuou.

Na entrevista concedida na Rádio JMN, Lula lembrou da ex-primeira-dama Maria Letícia Lula da Silva, com quem era casado desde 1974 e que morreu em fevereiro desse ano aos 66 anos, depois de ter sofrido um acidente vascular cerebral hemorrágico provocado pelo rompimento de um aneurisma.  “Eu pensei que já tinha experiência com a perda, mas após 43 anos de casado ainda é muito difícil lidar com a saudade e conviver com a morte, mas a vida é assim, nós temos que nos conformar e continuar seguindo o barco”, finalizou.

Lula (Crédito: Arquivo/Reprodução)
Lula (Crédito: Arquivo/Reprodução)


Fonte: Waldelúcio Barbosa