Justiça nega pedidos de habeas corpus de Joesley e Wesley Batista

Os irmãos são acusados de insider trading

O Tribunal Regional Federal da 3ª Região negou nesta sexta-feira (15) pedidos de habeas corpus feitos pelos defensores dos irmãos Joesley e Wesley Batista, controladores da JBS. Os pedidos de liberdade foram feitos na véspera.

Os irmãos são acusados de insider trading, uso de informação privilegiada para lucrar no mercado financeiro. Ambos foram acusados de ganhar vendendo ações da JBS antes de um acordo de leniência em maio, no qual confessaram subornar políticos. Essa confissão derrubou as ações da empresa.

O advogado dos irmãos Batista Pierpaolo Cruz Bottini informou que vai recorrer, ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) da decisão que negou a liminar.

"A própria decisão reconhece a ausência de fato novo apto a justificar a prisão. A inexistência de qualquer outro preso preventivo no Brasil pela acusação de insider trading revela uma excepcionalidade no mínimo curiosa", disse o defensor por meio de nota.

Sob essa suspeita, Wesley foi preso em São Paulo na manhã de quarta-feira (13). Joesley já cumpria prisão temporária (com prazo de cinco dias) em Brasília por decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin --essa prisão foi convertida ontem em preventiva.


Wesley e Joesley Batista
Wesley e Joesley Batista




Fonte: Uol