Ministro nega pedido de Andrea para ser julgada em 1ª instância

Os advogados de Andrea Neves entraram com o pedido no STF ontem

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello rejeitou o pedido feito pela defesa de Andrea Neves, irmã do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), para que as investigações sobre a jornalista fossem remetidas para ser julgado por um juizado de 1ª instância.

Os advogados de Andrea Neves entraram com o pedido no STF nesta segunda-feira para que o processo contra ela não fosse julgado pelos ministros do Supremo. A defesa enviou uma petição ao ministro Marco Aurélio, relator do caso, para que ele desmembrasse as investigações sobre Andrea do processo em que também são investigados seu irmão, Aécio Neves, o primo, Frederico Pacheco, e o ex-assessor de Zezé Perrella Mendherson Lima.

A defesa alega que Andrea, assim como Pacheco e Lima são “cidadãos comuns, que não exercem qualquer função pública e, por isso, não têm foro por prerrogativa de função neste Supremo Tribunal Federal”. O documento ainda pede que o caso seja julgado na Seção Judiciária Federal de São Paulo, local dos fatos relevantes ao processo ocorreram.

Com o desmembramento solicitado e o “impedimento” de julgamento pelo STF, caso seja atendida a requisição dos advogados de Andrea, eles pedem o revogamento das prisões preventivas decretadas contra Andrea, Frederico e Mendherson.

Os três foram presos na Operação Patmos, há um mês, em Belo Horizonte. Andrea é acusada de intermediar o pagamento de R$ 2 milhões feito pelo empresário Joesley Batista, dono da empresa JBS. Em troca, ela teria solicitado R$ 40 milhões para a compra de um apartamento. Frederico é acusado de pegar os R$ 2 milhões em São Paulo e entregar parte deles em malas a Mendherson Souza Lima, que teria transportado a quantia até Belo Horizonte.


Andrea Neves durante sua prisão
Andrea Neves durante sua prisão



Fonte: O Globo