Quintão desiste da disputa para líder do PMDB e vai apoiar Picciani

O anúncio é uma vitória do governo e uma derrota para Eduardo Cunha

Leonardo Quintão  (Crédito: Divulgação)
Leonardo Quintão (Crédito: Divulgação)


O deputado federal Leonardo Quintão (MG) afirmou nesta sexta-feira (22) que desistiu de disputar a liderança do PMDB na Câmara.

O parlamentar mineiro, que lançou candidatura independente, anunciou que agora que deixou a disputa interna irá apoiar o atual líder do partido, deputado Leonardo Picciani (RJ).

Com a desistência de Quintão, permanecem na corrida pela liderança do PMDB Picciani e o deputado Hugo Motta (PB), que conta com o apoio do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

A candidatura de Motta é uma tentativa de enfraquecer a recondução de Picciani ao comando da bancada. A intenção de Cunha e seus aliados era de que houvesse, ao menos, três candidatos na eleição interna marcada para ocorrer em 17 de fevereiro.

Os deputados do PMDB – que integram a maior bancada da Câmara – estão divididos desde que Picciani foi destituído do comando da legenda no fim do ano passado por peemedebistas que fazem oposição à presidente Dilma Rousseff. Poucos dias depois, o deputado fluminense conseguiu retomar o posto.

Os dissidentes criticam a aproximação do líder com o Palácio do Planalto. O episódio que deflagrou a insurgência na bancada do PMDB foi a decisão de Picciani de indicar apenas deputados afinados com o governo para a comissão especial que analisará o impeachment da presidente da República.Quintão relatou que decidiu desistir de concorrer à liderança depois que o vice-presidente da República e presidente nacional do PMDB, Michel Temer, pedir "um ato para unir o partido".

"Conversei com Temer e ele pediu ato para unir o partido. Ele não pediu para apoiar Picciani, pediu para unir o partido. Depois que Cunha lançou a candidatura do Hugo Motta, isso trouxe mais uma ruptura ao partido e eu fui motivado pelo Michel a unir o partido", ressaltou o deputado mineiro.

"A maneira que vi para fazer isso é apoiando o Picciani. Isso irá trazer unidade na liderança e na convenção do partido, em torno do Michel Temer", complementou.Leonardo Quintão disse que Hugo Motta é uma "excelente pessoa", mas que a entrada do deputado da Paraíba na eleição interna apadrinhado por Cunha traz mais ruptura ao partido. Segundo ele, não é Motta quem conseguirá unir a legenda.

DISPUTA SEM IDEAIS'

Na tarde desta sexta-feira, a assessoria de imprensa de Leonardo Quintão divulgou duas notas à imprensa. Em uma delas, o deputado anuncia oficialmente a decisão de desistir da disputa pela liderança do PMDB. No comunicado, ele diz que se recusa "a fazer parte de uma disputa sem ideais" e de "uma guerra entre aliados".

O parlamentar destacou, ainda, que "o ódio não deve ser motivador da escolha de um líder" e argumenta que Picciani se comprometeu, se for reeleito líder, a contemplar as diversas alas do PMDB e a "compor com proporcionalidade a comissão que irá analisar o impeachment, contemplando as alas favoráveis e contra".

"Essa composição será determinante para o equilíbrio, uma vez que no passado, tal seleção gerou profundas rupturas e insatisfação, principalmente na minha relação com o deputado Picciani que sempre foi de amizade e confiança", escreveu Quintão.Em outra nota, o deputado de Minas diz que a decisão foi motivada como "um passo para o equilíbrio de forças internas" e que não foi sondado e tampouco está disponível para ocupar um ministério.

Fonte: G1
logomarca do portal meionorte..com