Senador que responde por agressão a mulher é condecorado por Temer

Senador recebeu a Ordem do Rio Branco

O senador Lasier Martins (PSD-RS), que responde a um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) por agressão a mulher, foi condecorado pelo presidente Michel Temer nesta quinta-feira (20), em cerimônia no Itamaraty.

No site do Ministério das Relações Exteriores, a Ordem do Rio Branco é descrita como uma homenagem para "distinguir serviços meritórios e virtudes cívicas, estimular a prática de ações e feitos dignos de honrosa menção".

O senador, presente na cerimônia desta quinta, foi acusado de agressão pela mulher, a jornalista Janice dos Santos, que registrou um boletim de ocorrência contra o marido. O caso chegou há cerca de um mês ao STF e está nas mãos do ministro Edson Fachin, também relator da Lava-Jato na Corte. O caso está sob sigilo e foi encaminhado para o STF pela Delegacia Especial de Atendimento à Mulher de Brasília. Por ser parlamentar, Lasier tem foro privilegiado. O senador nega a agressão e afirma estar em processo de separação.

Senador Lasier Martins  (Crédito: Reprodução)
Senador Lasier Martins (Crédito: Reprodução)

Como é praxe, vários ministros e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunicio Oliveira (PMDB-CE), também receberam honrarias da Ordem do Rio Branco. Na lista dos agraciados, dezenas de ministros investigados no âmbito da Operação Lava-Jato, além dos presidentes do Legislativo e o deputado Arthur Maia (PPS-BA), relator da reforma da Previdência na Câmara. Após receberem as condecorações, os presentes cumprimentaram Temer e os ministros das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, e da Casa Civil, Eliseu Padilha.

A última vez que Temer entregou a Ordem do Rio Branco foi em dezembro, especialmente para pessoas que prestaram auxílio após o acidente de avião da Chapecoense, que deixou 71 mortos em 29 de novembro. Receberam a medalha, em cerimônia emocionada no Palácio do Planalto, o prefeito de Chapecó, Luciano José; o prefeito de Medellín, Frederico Gutiérrez; o presidente do Atlético Nacional, Juan Carlos de la Cuesta; jornalistas colombianos; membros do Instituto Médico Legal do país; e representantes de clínicas médicas.

Fonte: Com informações do O Globo