Tiririca anuncia voto contra Temer: 'Errou, tem que pagar'

Partido do deputado fechou questão a favor de Temer

Um dos deputados mais populares da Câmara Federal, com mais de um milhão de votos em São Paulo, Tiririca (PR-SP) afirmou nesta quarta-feira (02) que votará a favor da denúncia contra o presidente Michel Temer. O deputado disse que “se errou, tem que pagar” e defendeu o “Fora, Temer”.

Vestido de terno e gravata, Tiririca explicou que foi à sessão “fantasiado de deputado” a pedido da esposa. Antes desta quarta-feira, a outra ocasião em que compareceu desta forma foi durante a votação do impeachment de Dilma Rousseff, em que ele também votou a favor do afastamento da então presidente.

"Se errou, tem que pagar. É o ditado que minha mãe fala: “pode ser filho, se errou, você vai ter que pagar, tem que ser responsável por seus erros",  afirmou.

Tiririca nos corredores da Câmara Federal (Crédito: O Globo)
Tiririca nos corredores da Câmara Federal (Crédito: O Globo)

De acordo com deputado, apesar de ser de um partido que integra a base aliada, que fechou questão a favor de Temer, não houve pressão para que enquadrasse seu voto. O deputado disse que o governo sequer o procurou para oferecer cargos e emendas, já que sabia de antemão que a resposta seria negativa. Ele disse não temer qualquer retaliação com seu voto dissidente.

"Não houve pressão, não dependo de partido, nem de governo. Eu sou do povo e dependo só do povo. Nem me chamaram para conversar, nada ofereceram e eu não quero, não preciso. Não tenho medo de nada", disse Tiririca.

O deputado afirmou que tem sido muito cobrado em suas bases para votar contra Temer.

"Sou cobrado pra caramba, eu viajo todo fim de semana, sou cobrado direto, pego voo que vai deputado, eles vão disfarçados. Eu passo de cabeça erguida. As pessoas dizem: “tô de olho, presta atenção, não vai fazer vergonha não”. Então, é fora Temer, porque realmente não dá para explicar muita coisa pro povo", disse o parlamentar, completando ser também contrário às reformas que o governo pretende fazer, como a da Previdência.

Fonte: Com informações do O Globo