Wellington discute retomada da Transnordestina com governadores

Governador quer que sejam liberados R$ 150 milhões.

O governador Wellington Dias e os governadores do Ceará, Camilo Sobreira, e do Pernambuco, Paulo Câmara, reuniram-se, nessa quarta-feira (7), com os deputados federais e senadores dos respectivos estados com o objetivo de construir um alinhamento sobre a conclusão da Ferrovia Transnordestina. O encontro contou com a presença do presidente da Transnordestina Logística, Sérgio Leite.

Durante a reunião, um grupo de trabalho foi formado para assegurar a liberação de recursos e o cumprimento do cronograma. A ideia é que, inicialmente, sejam liberados R$ 150 milhões, o que seria o suficiente para retomar as obras e garantir as condições para o prosseguimento das obras nos trechos do Piauí, Ceará e Pernambuco, que são os três estados diretamente beneficiados pela ferrovia.

Pelo cronograma, até 2019 o trecho que interligará os três estados ao porto de Pecém (CE) será concluída. “A perspectiva é que logo em seguida a Transnordestina se torne uma ferrovia integrada com o porto de Suape (PE) e com as regiões Norte e Sul. Sou defensor da tese de que nossa força é nossa união e acredito que o trabalho conjunto da bancada do Nordeste, governadores, setor empresarial e laboral nos trará resultados bastante positivos”, pontuou Wellington Dias.

Ainda de acordo com o governador, com a retomada da obra, cerca de 6 mil empregos serão gerados. “Essa quantidade de empregos virá em um momento que o país apresenta um alto índice de desemprego. É importante também para os investidores que acreditaram na obra, produziram e agora se encontram em uma situação complicada, tendo que transportar produtos pelas rodovias, que possui o custo mais alto. É fundamental que cheguemos em 2019 com a obra finalizada”, atentou o gestor.

A Transnordetina é a maior obra ferroviária do Brasil. O projeto prevê 2.304 quilômetros de ferrovia, beneficiando 81 municípios, 19 no Piauí, 28 no Ceará e 34 em Pernambuco. Em solo piauiense, a ferrovia passará por Simões, Curral Novo, Betânia, Paulistana, Campo Alegre do Fidalgo, Nova Santa Rita, Bela Vista, Paes Landim, Simplício Mendes, São Miguel do Fidalgo, São José do Peixe, Ribeira, Pajeú, Flores, Itaueira, Rio Grande, Pavussu e Elizeu Martins.

O governador segue em Brasília, nesta quarta-feira (7), onde se reunirá com a ministra Rosa Weber, no Supremo Tribunal Federal, para buscar um entendimento para um acordo com a União sobre a multa da repatriação. A pretensão é firmar um acordo que prevê o início do pagamento da multa na próxima segunda-feira (12).

Para o Brasil, são R$ 5,3 bilhões e para o Piauí, R$ 173 milhões. “Três estados decretaram estado de calamidade. É um dinheiro que pertence a eles e vai contribuir para as demandas de interesse do nosso povo. Caso não tenha o acordo, solicitaremos a liberação do valor que já foi bloqueado pela ministra para que os Estados possam suportar despesas essenciais e emergenciais”, esclareceu Dias.

Fonte: Portal Meio Norte
logomarca do portal meionorte..com