A comunicação é um direito humano. E o cinema é uma ferramenta muito importante neste aspecto. Através da chamada sétima arte, é possível aprender sobre valores, adquirir cultura e referências sobre o mundo. Em um contexto onde apenas 17% da população brasileira tem acesso a uma sala de cinema, o Cine Sul vem na contramão.

Crianças assistem a filme no projeto Cine Sul | FOTO: Raíssa MoraisCrianças assistem a filme no projeto Cine Sul | FOTO: Raíssa Morais

Em parceria com a Piauí Conectado e o Governo do Estado, o Conselho Estadual de Cultura do Piauí desenvolve o projeto Cine Sul, que tem o objetivo de promover o lazer e democratizar o acesso à cultura. Os filmes escolhidos sempre abordam pautas sociais importantes. Após a exibição,  é realizada uma roda de conversa com uma psicóloga para tratar sobre os temas abordados.

Poliana Sepúlveda, conselheira estadual de cultura | FOTO: Raíssa MoraisPoliana Sepúlveda, conselheira estadual de cultura | FOTO: Raíssa Morais

Para Poliana Sepúlveda, conselheira estadual de cultura, o Cine Sul voltou com força total após a pandemia da Covid-19. "Sempre vem entre 30 a 40 pessoas. Tem sempre uma mãe, uma avó. Cada turma é orgânica, as escolas entram em contato. A gente traz o aluno para cá, as pessoas conhecem o Centro Cultural que tem a maior pinacoteca do estado. Aqui é uma imersão no cinema, na arte", revela.

Os filmes são escolhidos a dedo. "Passamos o filme 'Encanto' da Disney, por exemplo. Para uma criança, a percepção é uma, para o adulto é outra. Fazemos a análise do grupo que vai participar. Às vezes a gente arruma o ônibus, outras vezes a gente consegue com a própria escola o transporte. Além disso, servimos um lanche no final. O propósito é fazer uma imersão à compreensão", acrescenta Sepúlveda.

O público alvo consiste em turmas de alunos, projetos sociais e comunidades carentes. "Queremos aguçar a percepção deles. Hoje temos desde bebês até vovós que se empolgam e ficam tocados pelos filmes. Precisamos oportunizar e levar isso para outros estados", considera a conselheira.

Projeto acontece na Pinacoteca do Conselho Estadual de Cultura, em Tereresina | FOTO: Raíssa MoraisProjeto acontece na Pinacoteca do Conselho Estadual de Cultura, em Tereresina | FOTO: Raíssa Morais

Piauí Conectado atua de forma importante no projeto

Charlene Queiroz, coordenadora de Responsabilidade Social da Piauí Conectado, parceria público-privada de conectividade do Governo do Estado do Piauí através da Superintendência de Parcerias e Concessões (Suparc-PI), conta que o trabalho junto ao Conselho Estadual de Cultura surgiu em 2019.

Charlene explica que o projeto de cinema desenvolvido pela Piauí Conectado se uniu ao Cine Sul. "A gente já tinha o Cinema Para Todos. Nós vimos que o Piauí era o segundo estado menos democrático no acesso ao cinema. Então resolvemos sanar um pouquinho com esse projeto. Com a reforma desse prédio, que tem um auditório legal e uma acústica boa, surgiu a ideia da parceira. Então virou Cine Sul, atendendo a todos que queiram participar”, revela.

Charlene Queiroz, coordenadora de Responsabilidade Social da Piauí Conectado | FOTO: Raíssa MoraisCharlene Queiroz, coordenadora de Responsabilidade Social da Piauí Conectado | FOTO: Raíssa Morais

A Piauí Conectado faz a curadoria do filme com base na comunidade que vem assistir. "Nossa psicóloga ajuda na escolha. Além disso, temos o lanche e oferecemos o link de internet. O conselho vem com a estrutura física", conta a coordenadora.

"Uma ideia brilhante"

Para Nelson Nery Costa, presidente do Conselho de Cultura, o Cine Sul “é uma ideia brilhante". "A concessionária de serviço público permite essa experiência para as crianças. Estamos produzindo matéria cultural. É fundamental no cinema, arte, dança e cultura popular. As crianças precisam ter essa ligação. As pessoas precisam ser ensinadas a consumir cultura. Esse é um processo para instigar a cultura e a arte. Lazer se mistura com isso. São áreas que despertam a sensibilidade”, considera.

Nelson Nery Costa, presidente do Conselho de Cultura |FOTO: Raíssa MoraisNelson Nery Costa, presidente do Conselho de Cultura |FOTO: Raíssa Morais

Marcos Lopes, coordenador do projeto Arte de Viver, que atende crianças e adolescentes, ficou encantado com o Cine Sul. “No nosso projeto, trabalhamos a cultura e o esporte como forma de tirar os jovens da vulnerabilidade. O Cine Sul é uma oportunidade maravilhosa", explica.

Dinei Lucas, de 13 anos, amou o filme e o lanche. “Muito da hora eu gostei muito. Foi massa demais assistir ao filme. É a quarta vez que vou ao cinema. O cachorro quente estava muito gostoso também", conta.

Dinei Lucas, de 13 anos, disse que adorou a experiência  | FOTO: Raíssa MoraisDinei Lucas, de 13 anos, disse que adorou a experiência  | FOTO: Raíssa Morais

A diversão é para todas as idades. Rosário de Assunção, aposentada, ficou feliz em ir ao cinema pela primeira vez. “Foi emocionante. Eu amei! Para mim e para as crianças foi uma experiência incrível. Todos os meninos se comportaram, ficaram quietos prestando atenção. Gostei muito. Eu nunca tinha vindo a uma sala tão bonita assim", finaliza.

Rosário de Assunção aprovou o projeto | FOTO: Raíssa MoraisRosário de Assunção aprovou o projeto | FOTO: Raíssa Morais