A Penitenciária Irmão Guido, situada na saída sul de Teresina, deve se tornar um laboratório de boas práticas de ressocialização de apenados. A proposta foi apresentada pela governadora Regina Sousa, em reunião nesta quarta-feira (13), no Palácio de Karnak, envolvendo representantes da Secretaria de Justiça (Sejus), Conselho Penitenciário, Conselho de Direitos Humanos e Defensoria Pública Criminal. A governadora entende que é preciso aprimorar as estratégias de preparação para reinserção do reeducando na sociedade.

“Eu escuto muito que pessoas saíram do presídio pior do que entraram. Precisamos reverter isso através do trabalho, da capacitação”, ressaltou a governadora.

Ressocialização: Penitenciária Irmão Guido será estudo de boas práticas- Foto: DivulgaçãoRessocialização: Penitenciária Irmão Guido será estudo de boas práticas- Foto: Divulgação

A ideia surgiu após uma visita de Regina Sousa à Penitenciária Irmão Guido, onde conheceu um projeto de Agricultura Sintrópica, uma forma de cultivo que preserva o meio ambiente e as características naturais da região. Lá já houve colheita de milho, feijão, macaxeira, maxixe, abóbora e quiabo. A produção é consumida na própria unidade pela comunidade carcerária.

Um grupo de trabalho foi criado para pensar outras alternativas a serem aplicadas no sistema prisional. A Penitenciária Irmão Guido servirá como projeto-piloto. Levantamentos serão realizados dentro da unidade para identificar quais as principais vocações profissionais dos presos, para formatar cursos e capacitações a serem desenvolvidos com instituições parceiras.

“Vamos usar a Irmão Guido como projeto-piloto, para depois disseminar nas outras unidades no sistema as práticas testadas, com resultados satisfatórios” pontuou o Secretário de Justiça, Carlos Edilson.

O sistema prisional piauiense é composto por 17 unidades que abrigam 5.281 presos.