Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Rio Itapecuru agoniza em Codó no Maranhão

Codó, um dos 10 que ficam às margens do Itapecurú, neste caso, não é exceção

Rio Itapecuru agoniza em Codó no Maranhão
Rio Itapecuru agoniza em Codó no Maranhão | Imirante
Compartilhe

O maior e mais importante rio do Maranh?o tem aproximadamente 1.500 kms, percorre o correspondente ? 16% de nossas terras, abastece 75% da capital do Estado, S?o Lu?s, passa por cerca de 45 cidades do interior e des?gua na ba?a de S?o Jos?, golfo maranhense. Apesar de tamanha import?ncia, ? um sofredor em diversos munic?pios por ele banhados. Cod?, um dos 10 que ficam ?s margens do Itapecur?, neste caso, n?o ? exce??o.

Esgoto na Cidade

A imagem do esgoto sem qualquer tratamento que jorra em seu leito o dia inteiro no bairro Santo Antonio, pr?ximo ? ponte da trizidela, entristece. Soma-se ? isso a extra??o de areia manual ou por meio de dragas, a sangria do matadouro p?blico e o concreto armado que substituiu sua mata ciliar no que foi anunciado como ?prainha?.

Os moradores da cidade n?o o poupam. Os pontos da margem mais visitados s?o sempre os que exalam maior mau cheiro. ?A gente encosta mesmo porque ? o jeito. Tem carni?a, sujeira, tudo enquanto este pessoal joga aqui dentro?, reclamou a dona-de-casa, Maria de Jesus Alves.

O lavrador, Jos? Ribamar de Sousa, mora no povoado Gameleira. Utiliza o rio para se locomover e vender a produ??o da ro?a em balsas improvisadas de talo h? mais de 16 anos. ? outro que diz ver de tudo, com muita tristeza, descendo nas ?guas que o ajudam a sobreviver. ?Tudo eles jogam neste rio, coisa ruim. Eu fico triste quando eu vejo, mas eu preciso dele direto?, disse.

Vazantes na Zona Rural

A a??o humana degradante existe na zona urbana e na rural de Cod?. O que muda ? apenas a forma de maltratar o Itapecur?. Na ?rea rural, a mata ciliar est? devastada. Perdeu espa?o para as vazantes. Em livramento, o lavrador Dilmo Costa da Silva, mostra uma extens?o de quase 2 kms onde ele e outros agricultores cultivam verduras e legumes. Como ? ?poca de cheia do rio, atualmente aguardam o baixar das ?guas para recome?ar o plantio.

Conta que j? fizeram reuni?o com os lavradores do lugarejo margeado pelo rio onde foi dada orienta??o para se acabar com as vazantes. ?Falaram que a gente n?o podia trabalhar aqui na beira do rio, a? ficamos pensando ? agora ficou dif?cil porque a gente trabalha aqui e do qu? que n?s vamos viver? Vamos continuar, se n?o tiver outro lugar para n?s trabalharmos. Vamos voltar para o mesmo lugar e plantar tudo de novo, quiabo, maxixe, vinagreira?, afirmou Dilmo da Silva.

O diretor do departamento de Meio Ambiente, Augusto Serra, entende que algumas mudan?as t?m acontecido, dado ao trabalho de conscientiza??o desenvolvido no munic?pio. ?Primeiramente tem sido feito uma conscientiza??o, o departamento tem ido ?s comunidades, sobretudo, as ribeirinhas conversar, explicar pra eles da import?ncia da preserva??o do rio. A gente tem percebido que tem melhorado significativamente. A popula??o tem um grau de consci?ncia maior embora haja aqueles que ainda insistem em ir de encontro ao que prev? a legisla??o ambiental? disse o diretor.

Iniciativa Privada

Augusto Serra tamb?m falou sobre a participa??o da iniciativa privada, que, segundo ele, est? despertando para a quest?o ambiental. ?O que h? de mais importante nesse momento ? a iniciativa tomada pela iniciativa privada onde empreendimentos come?am a perceber a import?ncia deles estarem participando dessa preserva??o?, explicou mostrando cartazes anunciando a revitaliza??o de nascentes, cujo trabalho ser? desenvolvido pela Associa??o de Prote??o ao Meio Ambiente e ao Ecoturismo com o apoio do grupo FC Oliveira.

?E tem a ASA que em parceria com a AMAVIDA, ? um projeto a n?vel de estado, que tamb?m j? tem dois projetos para revitaliza??o de nascestes, que ? o projeto olho d??gua. Ent?o tudo isso nos faz crer que j? h? uma consci?ncia maior por parte da popula??o e que os resultados ir?o surgir em breve dando assim uma nova dimens?o nessa quest?o da preserva??o do rio?, finalizou.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar