Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

RJ: Helicóptero cai matando instrutor e aluno, diz Bombeiros

Silvestre Neto, de 34 anos, e Felipe B., de 18, morreram no acidente.

RJ: Helicóptero cai matando instrutor e aluno, diz Bombeiros
Helicóptero foi encontrado totalmente destruído por volta das 10h desta quarta. | Reprodução
Compartilhe

Foram identificados como Silvestre T. Neto, de 34 anos, e Felipe B., de 18, os dois mortos no acidente com um helicóptero na Grota Funda, em Guaratiba, na Zona Oeste do Rio, nesta quarta-feira (21). A informação foi confirmada pela assessoria do Corpo de Bombeiros. Silvestre seria instrutor de voo e Felipe, aluno da escola de aviação Rio 22.

O caminhoneiro Marcelo da Silva Gama, 37 anos, viu o momento em que a aeronave estava sem controle. "Ele vinha embicado para baixo e cheguei a comentar com o meu colega que aquele helicoptero estava caindo. Ele bateu numa jaqueira e caiu de vez. Acho que se não tivesse batido nessa árvore, eles teriam sobrevivido. Aqui, quando tem neblina, nao dá para ver nada. Sempre tem acidente de carros e caminhões nessa região", afirmou o caminhoneiro. Até as 11h, não havia informações sobre as circunstâncias do acidente.



Por volta das 10h, a aeronave, que pertence à empresa Rio 22, foi encontrada totalmente destruída. No mesmo horário, peritos foram para o local do acidente.

Uma equipe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) chegou por volta das 12h. Eles farão a liberação dos corpos. A aérea, muito usada para voos de instrução, segue isolada. Amigos chegaram para prestar solidariedade.

O caseiro Júlio César Jesus Pinto, de 40 anos, contou que tudo aconteceu muito rápido. "Ele veio da Barra no sentido Santa Cruz e só ouvi o estrondo. Cheguei lá e estava tudo destruído. Um corpo estava pendurado na árvore e outro caído no chão do lado de fora do helicóptero. Na hora do acidente tinha muita neblina, não dava para ver nada. Até carro tinha que ter cuidado para passar aqui na estrada. A visibilidade era péssima", disse o Júlio, que trabalha em um sítio próximo ao local do acidente.




Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar