Segurança Pública é discutida no Território Serra da Capivara

As plenárias terão como objetivo colher subsídios.

A vice-governadora Margarete Coelho, filha da região Serra da Capivara, esteve juntamente com membros das secretarias de Governo, Planejamento e Segurança conduzindo a plenária Diálogos Territoriais: Segurança, Participação e Desenvolvimento Sustentável no Território Serra da Capivara,  no Centro Diocesano. 

Com uma proposta de construir o Plano Estadual de Segurança Pública de maneira participativa por meio de rodas de conversas e diálogos com eixos temáticos, a plenária reuniu representantes da sociedade civil, vereadores, prefeitos, prefeitas, gestores e membros de instituições dos 18 municípios que foram o território Serra da Capivara.

“Esse é um momento muito importante para o Piauí, o primeiro estado do Brasil a fazer um plano de segurança pública estadual e está fazendo isso ouvindo em todos os territórios o que a população deseja.  Para isso, estamos fazendo um debate sincero, honesto com base nos dados  estatístico, que logo no inicio, foi apresentado para discutirmos e ajustamos o foco de acordo com a realidade do território ”, explicou Margarete.

As plenárias territoriais acontecem em parceria com a Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que participa da construção  do Plano de Segurança Estadual com a finalidade de alinhar as políticas de acordo com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável- ODS e interioriza-las nos territórios de desenvolvimento.

Vice-governadora Margarete Coelho (Crédito: Divulgação)
Vice-governadora Margarete Coelho (Crédito: Divulgação)

Desta forma, as discussões nas plenárias ocorrem a partir da apresentação do Índice de Desenvolvimento Humano da região feito pela representante da CEPRO e Diagnóstico de Criminalidade do Território Serra da Capivara feito pela representante da SSP. “Essa é uma ação transversal, onde envolvem as secretarias de Planejamento, Governo, Segurança, Cepro para trazer essa grande discussão com representantes da sociedade civil organizada e gestores para tratar características próprias do território”, afirmou.

A diretora de Gestão Interna da SSP, Eugênia Villa, representando o secretário de Segurança, enfatizou que as plenárias terão como objetivo colher subsídios para discussão e pactuação de diretrizes e ações orientadoras para o plano estadual de segurança publica estadual. Além disso, reforçou a importância dos diálogos ocorrem nos 12 territórios com cinco eixos norteadores que são: valorização profissional e otimização das condições de trabalho; governança da segurança; segurança e participação social; prevenção social do crime e da violência: questões de gênero,  geracional, racial/étnica, orientação sexual e diversidade, segurança no trânsito, conflitos agrários; segurança e dinâmica socioeconômica dos territórios.

"A equipe da Segurança está empenhada em elaborar o primeiro plano de segurança pública que envolva tudo isso e, é nesse sentido, que estamos aqui escutando, debatendo nesse território para que a gente possa, juntos, planejarmos de forma estratégica e participativa  para 20, 30 anos. A segurança deve estar pautada numa visão a longo tempo.

O governador Wellington Dias faz um governo democrático. Por isso, a Secretaria de Segurança Pública está aqui, juntamente com a vice-governadora, Margarete Coelho, a secretaria de Planejamento e Governo  para debater ações a longo prazo”, reforçou Villa.

A prefeita de São Raimundo Nonato, Carmelita Castro, participou desse encontro e destacou as discussões dos grupos temáticos. “Aqui debatemos temas essenciais para o desenvolvimento da nossa região. São Raimundo Nonato é um município mãe, que recebe todos os dias um fluxo de carros e motos dos municípios vizinhos com frequência e, principalmente, nas sextas-feiras. O trânsito foi uma pauta apontada pelos participantes em um dos grupos que participei como um dos problemas que precisam ser resolvidos em primeiro lugar. Assim que assumimos a Prefeitura fizemos uma pesquisa para saber os primeiros anseios da população sanraimundense  e, surpreendentemente, o trânsito estava como primeiro colado. Depois disso, fizemos um estudo de mobilidade urbana com técnicos do Detran para organizarmos o trânsito e atendermos a população ”, disse.

O diagnóstico de criminalidade apresentou que a região Serra da Capivara é uma região que ocorreu poucos homicídios. De 18 municípios, seis tiveram homicídios nos últimos 10 anos. No entanto, outros crimes como,  violência no trânsito e a violência doméstica foram constados através dos dados.  Portanto, as queixas apontadas pelos participantes da plenária vão de encontro com os dados que apontam o trânsito como um dos graves problemas para a população. Além disso, os participantes citaram a ausência de serviços de comunicação eficiente na zona urbana e rural, quantidade no efetivo da segurança, infraestrutura de órgãos da segurança, regularização de terras como fatores determinantes na segurança dos municípios.

O secretário de Estado da Mineração, Petróleo e Energias Renováveis, Luis Coelho também participou do evento.

Fonte: Portal do Governo do Piauí