Shopping da Cidade é palco de mostra científica

A feira reuniu milhares de visitantes interessados nas pesquisas

Neste último sábado (16), o Shopping da Cidade recebeu a Mostra “Ciência vai ao Shopping”, uma iniciativa desenvolvida pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico (Sedet), por meio da Superintendência de Ciência e Tecnologia, que tem o objetivo de levar conhecimento e experiências científicas para o público, em geral, gratuitamente. 

As pessoas tiveram a oportunidade de interagir com os pesquisadores e sanar dúvidas sobre projetos que trazem soluções simples para problemas do cotidiano. A Mostra “Ciência vai ao Shopping” apresentou cerca de 25 projetos, envolvendo universitários e estudantes. O evento ajuda no fortalecimento da prática científica dentro e fora do espaço acadêmico, além de compartilhar os experimentos e ideias inteligentes para o público em um local comum. 

“Escolhemos o Shopping da Cidade por ser um espaço que circula muita gente e o nosso objetivo é justamente difundir a ciência para o maior número de pessoas. Despertar a cultura científica de forma simples é importante e este tipo de evento fomenta a educação e valoriza os nossos pesquisadores”, destaca Thiago Carvalho, superintendente de Ciência e Tecnologia da Sedet.

A sustentabilidade, por exemplo, é uma marca presente entre alguns projetos apresentados durante o evento. O estudante Daylon Lázaro da Silva, 15 anos, da cidade de Valença (PI), projetou uma lixeira eletrônica específica para pessoas com algum tipo de deficiência. As peças foram desenvolvidas com materiais recicláveis e possui um sistema autolimpante que ainda trabalha de forma econômica com a água.

“A lixeira eletrônica funciona de forma simples para atender as pessoas que têm algum tipo de limitação física, por exemplo. Por meio de um sensor, ela capta a presença da pessoa e a tampa se abre automaticamente”, explica o estudante.

Já outros pesquisadores, aposta na robótica como campo de trabalho científico. O grupo de pesquisadores formado por Marynad da Costa, Fernando Carlos, Pedro Alves e Pedro Alves, oriundos da Universidade Federal de Parnaíba atuam com a Robótica, e um dos ramos é a que opera na função educativa. O projeto tem a finalidade de possibilitar o desenvolvimento de diferentes habilidades entre crianças de 8 a 15 anos.

“A Robótica Educativa estimula, entre crianças e jovens, o raciocínio lógico, a criatividade, além de ajudar a inserí-los com maior rapidez no mundo da ciência. É interessante despertar, ainda quando criança, ao universo científico de maneira que ela fique envolvida de maneira natural”, avalia o pesquisador.

A feira reuniu milhares de visitantes interessados em conhecer o trabalho dos pesquisadores e também tirar dúvidas sobre os projetos. 

O evento também tem como parceiros o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Fonte: Portal Meio Norte
logomarca do portal meionorte..com