Silas e membros de associação de doentes renais se reúnem na FMS

A pauta era de pagamento de clínicas que fazem serviços de diálise

O deputado federal Silas Freire levou uma comissão da associação de pacientes com doenças renais, preocupados com a falta de pagamentos para as clínicas que atualmente prestam serviços de diálise em Teresina, para uma reunião com o presidente da Fundação Municipal de Saúde, Silvio Mendes, a fim de solucionar a questão.

Luiz Gonzaga Moreira, presidente da associação explicou que temia que os pacientes pudessem ficar sem atendimento no fim do mês de fevereiro já que o atraso já dura mais de 40 dias e se refere ainda ao mês de dezembro de 2016.

Sílvio Mendes explicou o impasse e tranquilizou a todos pois o repasse já foi regularizado. “O Ministério da Saúde nos fez o repasse no momento oportuno, não aconteceu atraso. O que houve é que com a reunificação dos órgãos da saúde de Teresina, que antes eram três, tivemos que criar novo CNPJ e resolver alguns processos burocráticos. Mas ontem, 16, conseguimos realizar a transferência bancária referente a todos os pagamentos relacionados aos serviços prestados por clínicas e hospitais aos pacientes renais”, afirmou Sílvio Mendes.


No encontro foram acertados também a otimização nas marcações de consulta direcionadas aos pacientes renais.

"Ficamos muito satisfeitos em contribuir, eu tenho uma questão pessoal com pacientes renais cerimoniais pois tenho um caso na família e sei da necessidade deles de fazerem o procedimento que é vital. Ainda bem que tudo já está normalizado.", declarou Silas Freire.

Caso as clínicas deixassem de prestar o atendimento, os pacientes teriam de se dirigir ao Hospital Getúlio Vargas (HGV) que não tem condições de atender toda a demanda.  Cada sessão de hemodiálise custa R$ 179,03 e o valor recebido em média por uma das é de R$ 400 mil.


Fonte: Portal MN
logomarca do portal meionorte..com