“Sonho de ser mãe não acabou”, diz mulher que perdeu quíntuplos

A mulher já tinha perdido dois bebês antes de perder os cinco.

Quase uma semana depois de perder os cinco bebês que esperava, a técnica em enfermagem Carla Divina Faria de Oliveira, de 24 anos, se recupera física e emocionalmente da perda dos quíntuplos. A jovem, que já havia perdido gêmeos em uma gravidez anterior, disse que seu mundo caiu. Em entrevista, ela contou que a tristeza vai demorar a ser superada. Porém, afirmou que o desejo da maternidade continua vivo: “O sonho de ser mãe não acabou”.

A mulher, entretanto, reconhece que ainda vai precisar de um tempo para uma nova tentativa. “Penso em fazer um tratamento, tanto físico quando psicológico. Pelo trauma e pela perda, vou ficar com muito medo. É bom eu esperar, cicatrizar a dor e viver um pouco mais para mim e para meu esposo. O sonho não acabou, mas vai demorar para eu engravidar de novo”, completou.

Após o parto, dois bebês — uma menina e um menino — não resistiram às complicações e morreram. As outras três crianças (todas meninas) estavam internadas em estado grave, sendo duas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas também não resistiram e vieram a óbito no domingo (16).

A jovem estava internada desde o dia 10, quando começou a sentir dores, na 23ª semana de gestação. O objetivo era que conseguisse esperar mais algumas semanas até o nascimento dos bebês. Mas o parto foi realizado cinco dias depois. Cada um dos recém-nascidos pesava cerca de 500 gramas.

“Meu mundo caiu”


Ela contou que chorou bastante e, mesmo anestesiada, tentou se levantar para ver as crianças: “Não estava nem me importando comigo, a minha única preocupação era com os bebês. Ali o meu mundo caiu”.

Segundo o relato da técnica de enfermagem, logo após o nascimento de três dos cinco filhos, os médicos decidiram fazer uma cesariana de urgência. “Era para todos terem nascido de parto normal, mas os outros três não desciam. O colo do útero fechou, o trabalho de parto acabou. Não tinha mais contração”, afirmou.

Carla ficou uma semana internada no hospital. Na segunda (17), foi liberada e se recupera na casa onde mora com o marido, o encanador industrial Luciano Gomes, de 39 anos, em Nerópolis, Região Metropolitana de Goiânia.


Fonte: Com informações do Metropoles
logomarca do portal meionorte..com