Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

SP: Casal que matou grávida em ritual satânico vai a júri popular

Sergio Ricardo Re da Mota, de 47 anos, e Simone Melo Koszegi, de 41, estão presos suspeitos de matar Atyla Arruda Barbosa, de 20 anos, em agosto de 2018.

Compartilhe
Google Whatsapp

Sergio Ricardo Re da Mota, de 47 anos, e Simone Melo Koszegi, de 41, apontados como autores do homicídio contra a técnica em segurança Atyla Arruda Barbosa, de 20 anos, serão submetidos a júri popular. O crime aconteceu em julho de 2018 e, desde então, o casal está preso em regime fechado. A decisão da Justiça foi confirmada na manhã desta quarta-feira (5) e enviada à 2ª Vara do Foro de Itanhaém, por onde corre o processo. As informações são do G1.

O desdobramento desse caso e diversos cenários em torno do mesmo foram motivos da sua grande repercussão. Ao longo do processo de investigação, foi descoberto que Sergio e Simone faziam parte de uma seita satânica onde "adoravam Lúcifer". De acordo com testemunhas, a vítima foi morta durante um ritual. 

Arquivo Pessoal

Inicialmente, a mulher foi dada como morta por afogamento, em julho, em uma praia de Mongaguá. Após essa versão, a Polícia Civil descobriu que o casal tentava sacar um seguro de vida de R$ 260 mil em nome da garota, que estava grávida quando foi assassinada.

Também foram descobertos perfis no Facebook indicando o envolvimento do casal em rituais de magia negra e satanismo, oferecendo pactos de adoração a Lúcifer, em troca de "poder" e "status". A polícia começou a acreditar que Atyla poderia estar ligada à seita, que teria oferecido o filho que estava esperando e, depois, desistido, tendo sido morta por isso.

Simone Koszegi, acusada de matar Atyla, durante cerimônia de seita a Lúcifer — Foto: Arquivo Pessoal


O casal está preso desde 17 de agosto, após o pedido de prisão preventiva ser acatado pela Justiça. Desde então, a defesa deles solicitou pedido de liberdade provisória, que foi negado.

Montagem/G1 Santos

Montagem/G1 Santos


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×