mais

Subutilização da força de trabalho sofre queda no Piauí, afirma IBGE

Em termos quantitativos, a subocupação por insuficiência de horas trabalhadas atinge 262 mil pessoas no mercado de trabalho piauiense.

A taxa composta de subutilização da força de trabalho no Piauí no primeiro trimestre de 2022 foi de 43,9%, uma redução da ordem de 5,4 pontos percentuais comparado ao que foi registrado no mesmo período do ano passado, quando havia chegado a 49,3%. São as informações obtidas através da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) do IBGE.

Em termos conceituais, a taxa composta de subutilização da força de trabalho é um somatório da taxa de desocupação (desemprego), da taxa de subocupação por insuficiência de horas trabalhadas (quando pessoas ocupadas trabalham menos de 40 horas por semana e têm disponibilidade de tempo para trabalhar mais, contudo não encontram nova ocupação para completar a carga horária), e da taxa de subutilização da força de trabalho potencial (quando pessoas que não estão trabalhando gostariam de encontrar alguma ocupação, contudo por algum motivo estariam sem condição de trabalhar naquele momento).

Assim, a queda verificada na taxa de subutilização da força de trabalho no Piauí no primeiro trimestre de 2022, comparada ao primeiro trimestre do ano passado, deveu-se especificamente aos seguintes fatores: à queda na taxa de desocupação, que passou de 15,1% para 12,3%; à queda na taxa de subocupação por insuficiência de horas trabalhadas, que passou de 19,8% para 18,1%; e à queda na taxa de subocupação da força de trabalho potencial, que passou de 18,8% para 17%.

Em termos quantitativos, a subocupação por insuficiência de horas trabalhadas atinge 262 mil pessoas no mercado de trabalho piauiense, o que equivale a 20% do total de pessoas ocupadas. Já a subocupação da força de trabalho potencial atinge 349 mil pessoas no Piauí, onde cerca de 69% delas se consideram inclusive “desalentadas”, ou seja, desistiram de procurar emprego por acreditar que não o encontrarão em razão dos seguintes motivos: da idade (por serem novos e sem experiência ou com idade avançada); da qualificação pessoal inadequada para os cargos disponíveis; ou pela falta de oportunidades de trabalho na localidade em que vivem.

Apesar da taxa de subocupação no Piauí ter caído, o estado ainda tem o maior indicador de todo o país, com 43,9%. A média desse indicador para o Brasil foi de 23,2%. O estado com a menor taxa de subocupação é Santa Catarina, com 8,3%. Comparando aos estados vizinhos, o Maranhão atingiu 37% de taxa de subocupação e o Ceará atingiu 30,8%.

Taxa de subocupação da força de trabalho no Piauí – 1o. Trimestre de 2022

Subutilização da força de trabalho sofre queda no Piauí, afirma IBGE - Imagem 1

Tópicos

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Desbloquear Notificações

Como desbloquear notificações

Na barra de endereço, clique no cadeado e em Notificações escolha a opção permitir, como na imagem abaixo

desbloqueio de notificação push

Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail