Tapioca pode matar? Caso viralizou nas redes sociais!

Notícia de que a tapioca pode matar é falsa, informa Embrapa.

Um texto, que circula pela internet, diz que a tapioca contém um ácido que pode matar. A falsa notícia ganhou repercussão e virou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais. De acordo com o pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa),Joselito Motta, não existe a menor possibilidade de haver a presença da substância.

"A Embrapa possui uma coleção de cerca de 2.250 variedades, sendo a maioria bravas e em torno de 300 mansas ou aipins. As variedades bravas contêm o ácido cianídrico, princípio tóxico que é eliminado com o processamento para o fabrico da farinha de mandioca. A fécula ou amido é retirada de qualquer uma das variedades depois de um processamento ainda mais completo que para o fabrico da farinha. Não existe portanto a menor possibilidade de haver a presença de HCN - ácido cianídrico - na tapioca, pois ele é removido com a água durante o processamento da raiz", explicou Joselito Motta.

O pesquisador, que é engenheiro agrônomo com mestrado em difusão de tecnologia e que desenvolve estudos sobre a mandioca há mais de 30 anos, não existe o menor risco em relação a isso, justamente porque o ácido cianídrico é retirado nas primeiras etapas de fabricação da farinha.

"A fécula é a última etapa do processamento da raiz da mandioca. Se a farinha já não tem HCN, imagine a goma ou o amido, que são a alma da farinha", diz o pesquisador.

Autor do texto compartilhado nas redes, o engenheiro José Narcélio Marques Sousa, de 73 anos, disse que ele próprio consome o produto há pelo menos meio século. "Eu particularmente continuo comendo minha tapioca. Se existe risco, estou correndo esse risco", afirma.

Questionado, então, sobre o porquê da publicação, Sousa diz que, no texto, procurou apenas transcrever a conversa com um colega que se mostra preocupado com a venda da tapioca fresca em feiras livres. "A preocupação desse amigo é com uma fiscalização mais efetiva", conta ele, que tem um blog na web.





Fonte: Com informações do G1
logomarca do portal meionorte..com