Tecnologia em excesso afeta a saúde física e mental das crianças

Crianças de 8 a 13 anos pertencem ao grupo de risco

O consumo excessivo de mídia digital por meio de smartphones, computadores e tablets eleva o risco de hiperatividade e distúrbios de concentração entre crianças e adolescentes, podendo afetar seu desenvolvimento físico e psíquico, aponta uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira (29/5), em Berlim, na Alemanha.

De acordo com os pesquisadores, crianças de oito a 13 anos que pertencem a esse grupo correm seis vezes mais risco de serem diagnosticadas com distúrbios de concentração e as de dois a cinco anos têm 3,5 mais chance de serem hiperativas.

Tecnologia em excesso afeta a saúde física e mental das crianças
Tecnologia em excesso afeta a saúde física e mental das crianças


Há ainda indícios mensuráveis do aparecimento de problemas ligados a transtorno de apego reativo em crianças cujas mães usam mídias digitais paralelamente à amamentação ou quando estão cuidando de bebês de colo.

“As crianças não mamam direito, elas dormem mal”, afirmou Marlene Mortler, representante do governo alemão para problemas ligados a drogas, durante a apresentação do estudo.

Rainer Riedel, autor do estudo e diretor do Instituto de Economia Médica e Pesquisa de Atendimento à Saúde de Colônia, apela para que pais leiam os chats nos smartphones de seus filhos, para protegê-los de bullying, por exemplo. Entre as dicas dos especialistas, está a criação de zonas livres de celulares, como à mesa de jantar da família.

Fonte: Com informações do Metrópoles